VULVOVAGINITES – SAIBA O QUE É E COMO TRATAR

mulher-corpo1

As vulvovaginites consistem no processo inflamatório da pele e da mucosa da vulva e da vagina. Podem ser causadas por bactéria, fungos, agentes irritativos ou alergênicos,

Em alguns casos podem ser de transmissão sexual.

Os principais sinais e sintomas são hiperemia (vermelhidão) da região, prurido e/ou ardência e secreção vaginal de aspectos variados.

Muitas vezes o quadro pode se tornar recidivante, como por exemplo a candidiase de repetição.

Em se tratando de um fungo que se desenvolve em ambiente úmido e abafado e também é um germe oportunista se aproveitando de organismos imunodeprimidos, é importante pesquisar baixa imunidade e hábitos inadequados de higiene que dificultem a aeração da região vulvar. O uso de absorvente diário e roupas íntimas de tecidos sintético deve ser desaconselhado.

Outra causa de vulvovaginite recorrente é a alteração de PH vaginal que pode ser causada por sabonete íntimo inadequado, uso excessivo de cremes vaginais e higiene com duchas intravaginais que desequilibram a flora vaginal.

É importante lembrar que o canal vaginal é úmido e nem sempre a presença de secreção tem significado patológico.

É necessário realizar a consulta com um especialista para um diagnóstico preciso e evitar a automedicação para que o problema não se cronifique e se torne mais difícil de corrigir.

Dra. Carla Bulcão CRM 5249161-9
Rua General Venâncio Flores , 305 /505
Tel 21 2239 1710

Câncer de colo uterino e HPV

Médico americano diz ter encontrado o famoso ponto G

O câncer de colo uterino é bastante frequente no Brasil, são estimados pelo INCa 17540 casos novos de câncer de colo uterino em 2012, praticamente todos eles são relacionados a infecção por um vírus, o HPV. Apesar dessa alta incidência ele pode ser prevenido.

Alterações no exame preventivo do câncer de colo uterino podem ser indícios de alterações inflamatórias, mas também podem ser de alterações precursoras, ou seja, que aparecem antes do câncer.
As alterações precursoras podem ser tratadas por um profissional apto sem que seja necessária a retirada de todo o útero, basta que sejam detectadas a tempo.

Além do exame preventivo podemos detectar a infecção pelo HPV com os seus subtipos, tanto os responsáveis pelo câncer como os responsáveis pelas verrugas genitais, através de um método chamado captura hibrida que é indolor e pode ser realizado no consultório médico.

A vacina do HPV pode prevenir a infecção e assim impedir o aparecimento das lesões mais graves que causam o câncer do colo uterino, também pode combater os subtipos que causam as verrugas genitais, podendo ser feita no consultório médico.

Procure um médico especialista na prevenção e no tratamento do câncer ginecológico para acompanhamento e maiores informações sobre a vacina do HPV.

Dr. Fernando Cordero
Ginecologia Oncológica – Mastologia
Cel.: (21) 82839069
Consultório: Av. das Américas, 3939, Bloco 01, cobertura