O OVO FAZ BEM À SAÚDE?

ovo-2

Se você só come a clara do ovo, pode esquecer esse hábito. O ovo inteiro é um dos mais consistentes alimentos com que podemos contar para tornar nossa dieta mais saudável. Décadas atrás, alguém decidiu que o colesterol dos ovos, encontrado principalmente em sua gema, contribuía para o desenvolvimento de uma série doenças cardíacas e para o aumento da obesidade. Essa pessoa errou feio.

O pior disso tudo é que os desavisados engoliram a lorota e passaram a evitar esse alimento. Quem está perdendo com isso é a saúde desses indivíduos. A gordura de ovos, ao contrário do que ainda dizem por aí, é do tipo bom, e previne uma série de complicações em todo o organismo.

ovos tudo sobre_16918_37570

“O ovo é uma boa fonte de colina, que protege o sistema cardiovascular de ataques cardíacos, coágulos sanguíneos, derrame.”

O ovo é a melhor fonte de luteína e zeaxantina que existe. Esses nutrientes são essenciais para a manutenção da saúde dos olhos e servem também para facilitar o tratamento de doenças nesses órgãos. Na verdade, muitos estudos atuais têm mostrado que consumir um ovo por dia pode ajudar a prevenir a degeneração macular e diminuir o risco de desenvolver catarata. O ovo é também uma boa fonte de colina, que protege o sistema cardiovascular de ataques cardíacos, coágulos sanguíneos, derrame.

Mesmo que o ovo seja um bem feitor ao organismo, é preciso cuidado na hora de prepará-lo antes da refeição. Evite comer ovos fritos, pois a gordura em que eles são feitos pode trazer alguns malefícios ao organismo, como o aumento decolesterol.. As melhores opções são os ovos quentes, cozidos e em gemada. Com esses métodos de preparo, os ingredientes que fazem bem do ovo continuam intactos, enquanto o acréscimo de gordura de outras fontes não ocorre.

ovo-2

Ao comprar os ovos, vale à pena gastar um pouco mais e escolher os orgânicos ou ovos de galinhas criadas soltas, e não daquelas que ficam confinadas. Essas opções têm melhor qualidade e também mais confiáveis. Normalmente o ovo orgânico possui a gema mais consistente e terá de uma cor laranja brilhante.

Os ovos de galinhas confinadas podem sair mais barato, mas quase sempre apresentam baixa qualidade, com gema amarelo-pálida, mais frágil, que se quebra facilmente. A verdade é que você ingere o que você compra, e vale à pena gastar um pouco mais para ter mais saúde. Fica a dica.

Dr. Wilson Rondo Junior

Nutricionista
Site Minha Vida

Um exercício genótipo específico – NUTRIGENOMICA

qNk5z1aFvu34RkqFZ6on8NxakPz4e9EIzma0XKk4Xss

Um exercício genótipo específico

Por que um exercício é bom para uns e péssimo para outros, causando lesões e problemas articulares? Por uma única razão. Não somos iguais uns aos outros. Nossos genes são diferentes. É possível determinar qual é a melhor atividade física para cada um com um teste genético. O Pathway FIT, da PATHWAY GENOMICS, parceira do BEMDEMAIS no NUTRIGENOMICA, é um estudo do genótipo de uma pessoa , de seus tipos dominantes de fibras musculares, de seu padrão metabólico. Através dele, podemos determinar se exercícios de resistência e/ou força são mais ou menos adequados a ela e em que percentual e frequência devem ser feitos.

Por isso é muito comum encontrar pessoas que engordam fazendo musculação ou vivem se contundindo com aeróbicos. Todos somos diferentes geneticamente, por isso nosso estilo de vida e nossas atividades físicas e dieta não podem ser iguais para todos e muitas pessoas de frustram por não atingir os resultados almejados.

O teste pode detectar até aquelas pessoas,que mesmo pertencendo a um percentual bem pequeno, não devem fazer exercícios. Há pessoas para as quais os exercícios respiratórios, sem grandes exigências físicas de resistência ou força, serão melhor recomendados, por exemplo, os que trabalham concentração e equilíbrio como a Hata Yoga. O teste genético poderá dizer o que funciona e o que não funciona para cada um.

Com recomendação médica, qualquer pessoa pode realizar o teste, basta enviar uma amostra de saliva. No caso de crianças ou adolescentes, é necessária a autorização dos pais ou responsáveis. Para assegurar a qualidade do material que será analisado, no caso a saliva, é orientado ao paciente não comer pelo menos uma hora antes do teste, não mascar chicletes , beber , fumar ou usar antissépticos bucais. Também é recomendado que ele massageie suas bochechas delicadamente antes de coletar a saliva . O melhor horário da coleta é ao acordar, antes de escovar os dentes.

Dr Tercio Rocha 11 mini

Dr. Tercio Rocha
Médico

www.terciorocha.com.br

MEDICINA REGENERATIVA: ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL

Doctor completing on medical card. Isolated on a white.

O QUE É A MEDICINA REGENERATIVA?

A Medicina Regenerativa é a opção mais sensata de quem pretende ter um amadurecimento sem as limitações da velhice. Só fica velho quem não repõe hormônio . Regenerar é não agredir, é voltar ao status hormonal de produção de proteínas. É um processo promissor de  substituir ou regenerar e restaurar as funções normais do indivíduo.

O endocrinologista Tercio Rocha formou uma equipe multidisciplinar (neurologista, reumatologista, imunologista e alergologista) para acompanhar e tratar os pacientes interessados na Medicina Regenerativa. “A partir dos 27 anos se inicia um lento e progressivo declínio da produção de proteínas = hormônios, enzimas, parede celular, epitélios, derme, tecido cardíaco, músculos, tendões e cartilagens. A isso se chama bioquimicamente de “balanço nitrogenado negativo”, uma evolução clinica desfavorável, excretando mais proteína do que está ingerindo, causando com isso um catabolismo que significa uma perda proteica.

O envelhecimento

Quando se é jovem nosso organismo tem níveis maiores de hormônios e quando envelhecemos perdemos a capacidade regenerativa de ossos, pele, músculos, tendões, articulações, cérebro, coração, pulmão, rins, fígado e intestinos. Isso ocorre devido a um declínio na produção proteínas. Um dos primeiros sintomas do envelhecimento se inicia com dores articulares (40%) como artrite, reumatismo, artrose, doenças do colágeno, entre outras.

A degradação e perda da qualidade funcional dos tecidos e órgãos podem advir de uma reação imunológica e/ou alérgica, o que acelera de forma brutal o envelhecimento, o desgaste do órgão afetado.

O aspecto do envelhecimento que mais gera medo no ser humano é a perda de suas funções cognitivas, neurológicas, de sua sanidade mental, memória, humor, sono, etc. Por isso a importância do acompanhamento da saúde vascular por um neurologista, indicando e orientando a realização de exames periódicos e inibindo o seu quadro degenerativo.

Como regenerar?

Um dos primeiros passos é fazer uma série de exames necessários para se obter um diagnóstico preciso. Mapeamento genômico. IGG alimentar 221 alimentos, ultrassom transcraniano para estudo do polígono arteriolar cerebral, testes alérgicos e desenvolvimento de auto vacinas, reabilitação funcional articular, nutri genômica (tecnologia alimentar traçada a partir dos testes do panorama genômico) e desenvolvimento de uma série de exercício físicos de acordo com sua genética muscular, são alguns dos procedimentos adotados.

Após esses testes e exames o tratamento tem início e a maior parte se passa pela nutri genômica, que quer dizer: você regenera seus tecidos e órgãos, desgastando-se menos e favorecendo sua regeneração por condições metabólicas ótimas. Enfim, o uso de hormônios bio-idênticos, GH, testosterona,  todos envolvidos nas TRHs, e aplicados, dependendo da necessidade de cada indivíduo e de alguns marcadores de risco e história familiar.

“A Dosagem hormonal através da saliva , tem se mostrado o melhor teste para controlar as TRHs , visto que somente nos fluidos corporais você consegue dosar a fração livre (bio ativa) dos hormônios”, ressalta Tercio Rocha

O uso dos hormônios sublinguais em gotas é uma grande novidade em termos de conforto, aumento da absorção  e resultados terapêuticos. A melhora do sono com o uso de melatonina, chás de camomila e erva—cidreira, suco de maracujá, correção hormonal e nutri genômica é fundamental para corrigir o ciclo circadiano dos hormônios (ciclo fisiológico de produção hormonal, alta na circulação sanguínea e baixa).

Após a aplicação desses exames, condutas clínicas, exercícios e no mínimo nove meses de nutrigenomicca, entra a parte regenerativa em nível celular. As células tronco adultas ,colhidas da gordura do próprio paciente e cultivadas no laboratório Excellion.

Essas células tronco adultas = fibroblastos autólogos, podem ser aplicadas em articulações, músculos, derme, cérebro, etc. E a grande vantagem dessa terapia é que ao aplicar células tronco (1 milhão de células por seringa), você está levando a um tecido em declínio de renovação, um exército de células produtoras (blastos) cujo marcador de idade celular, marca 1/3 da idade cronológica. “Isso significa devolver a um rosto de 60 anos, o colágeno, o turgor e o brilho da pele que se tinha aos 20 anos”, ressalta o endocrinologista Tércio Rocha. O mesmo vale para todos os tecidos como articulações, músculos, etc, afirma o médico.

Atualmente, já no primeira ato da colheita de gordura já se pega o excedente aspirado, filtra-se a gordura, e injeta-se essas células gordurosas integras em olheiras, ao redor da boca, na lateral da face, regiões onde a atrofia dérmica oriunda da baixa hormonal, estiver mais grave. Esse procedimento é conhecido como Fat Transfer e é realizado pelo cirurgião plástico prof. Dr. Franklin Carneiro.

O envelhecer , um processo natural do ser humano que com o advento da Medicina Regenerativa passa a ser uma reabilitação funcional do indivíduo, uma busca pela maior e melhor qualidade de vida. A medicina regenerativa é a grande promessa dos últimos tempos.

O QUE É A CLÍNICA RIO DE MEDICINA REGENERATIVA

Reunimos agora, na unidade Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, RJ, da CLÍNICA TERCIO ROCHA, todas as especialidades clinicas necessárias a homens e mulheres que almejam uma vida saudável, prolongando a juventude funcional de seu corpo e mente, através da Medicina Regenerativa.

Nossa equipe oferece:

Alergia e Imunologia : Prof Dra Teresa Siler

Reumatologia : Dra Isabela Saad

Neurologia : Dr Andre Lima

Psiquiatria : Dr Anaton Albernaz

Endocrinologia Regenerativa : Dr Tercio Rocha

Dermatologia : Dra Laila Klotz

Cirurgia Plástica : Dr Franklin Carneiro

Nutrição : Dra Raquel Iff

Nosso endereço e telefones para contato são: Av. das Américas, 3939 – Bloco 01 – Cobertura 302, Barra da Tijuca, Rio – RJ - tel.: (21) 9 9584 3199 / (21) 24307027 / (21) 9 9584 3183

Venha nos visitar!

SOBRE A TESTOSTERONA E SUAS IMPLICAÇÕES

carb-cycling-for-six-pack-abs_csm

Testosterona é um hormônio esteróide produzido principalmente pelas células de Leydig (no homem) e ovários (mulher), e quantidades menores são produzidas pelas glândulas adrenais em ambos sexo.

Os homens produzem aproximadamente 7mg por dia, e o nível no sangue varia de 300 a 1000ng/dL.

Mulheres produzem aproximadamente 15 vezes menos.

A produção de testosterona pode acontecer de duas maneiras, esquematicamente:

Colesterol -> pregnenolona -> progesterona -> androstenediona -> Testosterona
Colesterol -> pregnenolona -> DHEA -> androstenediol -> Testosterona

Após ser jogada na corrente sanguínea, 95% dela é vinculado a proteínas como a albumina e a globulina. Isso ocorre por tres motivos: 1) Tornar o hormônio solúvel. 2)Proteger contra degradação pelo fígado e rins. 3) Serve como depósito que pode ser usado para equilibrar as flutuações no plasma.

O restante é conhecido como Testosterona Livre, ou seja, a quantidade que interage com as células.

A regulação do nível de testosterona é governada por dois fatores: O total no sangue, e a capacidade de vinculação das proteínas no plasma. Ou seja, quanto maior essa capacidade, menor o nível de testosterona livre no sangue. Há drogas (Esteróides anabólico-androgênicos, insulina, etc) e suplementos (Avena Sativa, Urtica Dioica, etc) que reduzem essa capacidade.

Esse hormônio é produzido desde o período fetal até 10 semanas após o nascimento. Dando uma pausa e voltando a ser produzido na puberdade.

Infelizmente, o nível começa a cair entre 30 e 40 anos de vida. E com 80 anos, temos apenas 1/3 do que costumávamos ter.

Ações da testosterona:

Crescimento do pênis, escroto e testículos durante a puberdade
Enlargamento da laringe (voz mais grossa)
Formação de esperma
Crescimento de pêlos
Aumento da grossura da pele
Aumento de libido
Taxa metabólica basal (quando repousamos) maior
Aumento de glóbulos vermelhos e volume sanguíneo
Aumento da retenção de sódio e água nos rins
Aumento da síntese proteica, que gera aumento de massa muscular
Reduz a quebra de glicogênio do músculo durante os exercícios
Aumenta a retenção de cálcio pelos ossos
Diminui o crescimento de cabelo (principalmente nas “entradas”)
Aumenta a atividade das glândulas sebáceas, fazendo você suar mais, causando acne em alguns casos
Estreitamento e fortalecimento da pelvis
(Nota: Há outros efeitos no corpo que não foram listados para não ficar cansativo)

Esteróides anabólicos-androgênicos

Qual a diferença entre os EAA’s e a testosterona? Os primeiros são produzidos em laboratório, e a segunda pelo nosso corpo.

Estes são:

Decanoato de nadrolona (Deca Durabolin)
Oxandrolona (Anavar)
Fluoximesterona (Halotestin)
Acetato de Trembolona (Parabolan)
Metandrostenolona (Dianabol)
Oxymetolona (Anadrol)

Efeitos colaterais

Alguns dos efeitos colaterais causados pelo abuso dos EEA’s são:

Ginecomastia
Diminuição do nível do HDL (colesterol bom)
Atrofiação dos testículos
Redução de esperma
Crescimento da próstata
Danos ao fígado (principalmente por esteróides orais)
Irregularidade na menstruação
Repressão do hormônios endógenos (LH e T)
Ginecomastia
Crescimento do clitóris
Acne

Os efeitos causados vão depender da quantidade usada, qualidade do produto, duração do uso e do corpo de cada um. Vale a pena frisar que há meios mais seguros e legais para aumentar o nível de testosterona!

publicado no site MALHANDOCERTO.COM

Tirando Dúvidas sobre Uso de GH

Fitness-e-Bem-estar-1

O GH é um hormônio de crescimento e está presente em todas as pessoas. Ele é produzido pela glândula hipófise, situada na base do crânio, e é muito importante para o crescimento desde os primeiros anos de vida. Para esclarecer as principais dúvidas sobre o uso deste hormônio, o site da SBEM conversou com o Dr. Cesar Boguszewski, diretor do Departamento de Neuroendocrinologia da SBEM, e com a Dra. Margaret Cristina da Silva Boguszewski, professora de Endocrinologia Pediátrica da UFPR, autora do livro “Como os Nossos Filhos Crescem” publicado pela Editora Campus, de onde algumas respostas foram tiradas. Confira:

Normalmente, até quantos anos uma pessoa pode crescer? Existe diferenciação entre homens e mulheres?
Muitas pessoas acreditam que os jovens crescem até os 18 ou até os 21 anos de idade, associando crescimento com maioridade legal. Entretanto, esta não é a realidade. O crescimento é um processo bastante dinâmico que inicia na concepção e se estende até a vida adulta, ocorrendo em intensidades variáveis nas diferentes fases da vida de uma criança e de um adolescente. Cada pessoa irá crescer enquanto seus ossos tiverem cartilagens de crescimento não calcificadas, independentemente da idade cronológica que ela apresente. O amadurecimento e a calcificação destas cartilagens de crescimento dependem principalmente da puberdade. Tomemos como exemplo dois jovens de mesma idade cronológica, porém em diferentes estágios de puberdade: aquele com um desenvolvimento mais avançado da puberdade provavelmente terá as cartilagens mais calcificadas e mais próximo de parar de crescer do que o outro que está apenas na fase inicial da puberdade. Da mesma maneira, uma menina de 10 anos de idade que esteja com as mamas desenvolvidas, com pêlos pubianos e já apresentou a primeira menstruação deve parar de crescer antes do que uma menina de 12 anos de idade que esteja apenas iniciando o desenvolvimento mamário. Este grau de amadurecimento das cartilagens pode ser avaliado com uma radiografia das mãos e dos punhos para avaliação da “idade óssea”.

Há diferença entre meninos e meninas. Nos meninos, a puberdade e o estirão de crescimento começa em média 2 anos mais tarde do que nas meninas. Essa “demora” prolonga o crescimento antes da puberdade, que associado com um estirão mais intenso e um período de crescimento mais prolongado no sexo masculino, resulta que os homens sejam em média 13 cm mais altos que as mulheres.

Quando é recomendado o uso de GH?
O tratamento de reposição (substituição) com GH está indicado em todo indivíduo, independente da faixa etária, que apresente deficiência da produção de GH pela hipófise. A deficiência de GH pode ter início na infância (nanismo hipofisário) ou na vida adulta, consequente, por exemplo, a um tumor da hipófise. Na infância, o GH também pode ser benéfico na baixa estatura em meninas com Síndrome de Turner, em crianças nascidas pequenas para a idade gestacional, nos portadores da Síndrome de Prader-Willi, em crianças com insuficiência renal crônica, entre outros.

Até que idade pode ser feito o uso de GH?
Em geral, nas crianças com baixa estatura causada pelas diferentes etiologias em que o uso de GH está aprovado, o tratamento pode ser feito até que se atinja a estatura final planejada. Em geral, isso não se baseia na idade cronológica, mas sim na idade óssea e na velocidade de crescimento que a criança está apresentando. Naqueles em que o tratamento foi iniciado em decorrência da deficiência de GH, que pode se manifestar desde os primeiros anos de vida, ou naqueles que desenvolveram a deficiência posteriormente (por exemplo, em decorrência de um tumor na glândula hipófise), o GH pode ser iniciado no momento do diagnóstico da deficiência, e muitas vezes é mantido por toda a vida.

Como é feito o tratamento com GH?
O tratamento com GH é feito através de injeções diárias, aplicadas ao deitar, por via subcutânea (isto é, na gordura) nas coxas, braços, nádegas ou abdome. Não existem preparações em formas de comprimidos, sprays, supositórios ou adesivos.

O uso de GH pode gerar efeitos colaterais? Quais são eles?
Em geral, quando usado sob orientação médica o tratamento com GH é bem tolerado e tem poucos efeitos colaterais. Reações locais da aplicação são raras mas podem ocorrer. Raramente o uso de GH pode causar hipertensão intracraniana benigna (“síndrome do pseudotumor cerebral”), que cursa com dor de cabeça, vômitos, alterações visuais, agitação ou alterações da marcha (do ato de andar). Em adultos, os principais efeitos colaterais se relacionam com retenção de água que o GH pode promover, causando inchaço, dores articulares ou musculares, e formigamentos de extremidades, geralmente relacionados com a síndrome do túnel do carpo.

Existem casos em que este tratamento não pode ser utilizado?
O GH não deve ser utilizado em portadores de neoplasias (tumores) malignos em atividade, pacientes com crescimento não controlado de tumores intracranianos benignos, em portadores de diabetes descompensado e naqueles com retinopatia diabética, pacientes aguda e criticamente enfermos por complicações após cirurgia cardíaca, cirurgia abdominal, trauma acidental múltiplo ou insuficiência respiratória aguda.

Há métodos cirúrgicos para crescimento?
Existem procedimentos cirúrgicos para alongamento ósseo, utilizados principalmente quando existe alguma deformidade óssea associada. Pacientes que sofreram algum trauma ósseo, tumor, mal-formações, entre outras situações em que a cirurgia não apenas favorece o alongamento ósseo mas corrige também as deformidades. A cirurgia apenas para aumentar a altura geralmente não é recomendada.

Quem pode recomendar o uso de GH? Ele é vendido apenas com prescrição médica?
Idealmente, o uso terapêutico de GH deve ser indicado por médico endocrinologista ou endocrinologista pediátrico, que são capacitados para isto. Entretanto, qualquer médico pode prescrevê-lo e ele deve ser vendido sob prescrição e supervisão médica.

Quanto tempo dura o tratamento para crescimento?
Depende da causa da baixa estatura, da resposta que se está obtendo e da presença de cartilagens de crescimento que permitam continuar o tratamento. Em uma criança com diagnóstico de deficiência de GH desde os primeiros anos de vida, o tratamento pode ser mantido por muitos anos até atingir a altura adulta.

Em que casos o uso de GH deve ser interrompido?
Quando a resposta não é a esperada, na presença de efeitos adversos, ou quando o paciente não quer mais o tratamento.

Quando os pais podem perceber que uma criança apresenta problemas de crescimento? Existem indicações?
Toda criança deve ser medida e pesada pelo menos uma vez ao ano. Desta forma se tem uma avaliação contínua do crescimento e qualquer desvio do normal será percebido rapidamente. Este acompanhamento regular deveria ser seguido rigorosamente por todos.

Fatores genéticos podem influenciar na altura final de uma pessoa?
Sim. A altura de uma pessoa é resultado da combinação de vários genes (“herança poligênica”) oriundos de seu pai e de sua mãe. Em geral, temos 50% de chance de ter uma altura semelhante à do pai ou da mãe, irmãos tem 50% de chance de ficarem com alturas semelhantes e 25% de semelhança pode ser esperado em relação a altura de avós e tios. Em gêmeos monozigóticos (“idênticos”), cuja carga genética é a mesma, a altura final será praticamente igual, desde que ambos passem pelas mesmas condições ambientais ao longo do período de crescimento. Entretanto, se um deles tiver algum problema nutricional ou alguma doença crônica, ele poderá perder altura e ficar mais baixo em relação ao outro que não enfrentou condições desfavoráveis.

A prática de atividades físicas contribui com o crescimento?
Exercícios físicos são excelentes e recomendados para todas as crianças por diversas razões. Além dos benefícios sobre o peso, a musculatura e a mineralização óssea, a atividade física pode corrigir vícios de postura e, com isso, melhorar a estatura de uma criança. Entretanto, a atividade física por si não deve mudar o padrão de crescimento ou mudar a altura que a criança atingirá na vida adulta. Portanto, atividade física deve ser estimulada, mas não deve ser indicada como solução ou tratamento para um problema de crescimento. Além disso, atividade física extenuante ou muito intensa (geralmente praticada por atletas de nível olímpico) pode prejudicar o desenvolvimento puberal e o crescimento de uma criança.

Qual a relação entre o uso de GH e a prática de exercício físico? Eles podem ser feitos em conjunto?
A criança em tratamento com GH pode praticar todas as atividades esportivas, sem restrição, a não ser que exista alguma restrição pela doença de base. Quanto ao local da aplicação, a medicação é aplicada antes de dormir a noite, de forma que a criança ficará em repouso após a aplicação e não deverá ter atividade muscular que interfira na absorção da droga.

Além do uso de GH, quais as outras alternativas que podem contribuir para o crescimento?
O GH é uma medicação e como tal é uma opção apenas naquelas situações onde comprovadamente ocorrerá um benefício com o tratamento. Da mesma forma, alternativas de tratamento dependem da causa do crescimento inadequado: anemia, hipotireoidismo, entre outros. Quando não existe doença, uma vida saudável, alimentação adequada, atividade física, horas de sono suficiente, tudo favorece um crescimento saudável.

cab_logo_sbem
publicado pela SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA

http://www.endocrino.org.br/

Saúde Mental pela análise genética – NUTRIGENOMICA

z-Vxyky2WJYVo9hEnyOlZjgVpokX_75sqEpwGLu9Gsg

Saúde Mental pela análise genética

Segundo dados da Organização Mundial, a depressão afeta 350 milhões de pessoas no mundo todo. É um fenômeno global que pode se manifestar em todas as idades, regiões e em ambos os sexos. Muitas pessoas passam a vida inteira em tratamento e tendo “recaídas” em determinados períodos.

Saber que tipo de tratamento é adequado para cada um é também possível com um teste genético. O Pathway – HEALTH, da PATHWAY GENOMICS, parceira da BEMDEMAIS no NUTRIGENOMICA, é um teste pharmaco genético . Ele mostra ao medico quais os medicamentos que funcionam e quais não possuem efeito, e o que pode causar sérios efeitos colaterais. Possibilitam que todo tratamento alcance sucesso, evitando assim as famosas “depressões refratarias ao tratamento” ou os fracassos terapêuticos .

O teste analisa os 180 genes diretamente relacionados a saúde mental através da saliva. É um teste para orientar médicos e pacientes a optar pelo tratamento correto. Muitas vezes, os medicamentos prescritos para ansiedade e depressão não funcionam nas primeiras tentativas. Por isso, sabendo, desde o inicio do diagnostico, quais medicamentos que vão reagir melhor no organismo, o médico pode evitar que o paciente tenha uma piora do quadro com reações adversas, frustrações e até intoxicações.

Com recomendação médica, qualquer pessoa pode realizar o teste, basta enviar uma amostra de saliva. No caso de crianças ou adolescentes, é necessária a autorização dos pais ou responsáveis. Para assegurar a qualidade do material que será analisado, no caso a saliva, é orientado ao paciente não comer pelo menos uma hora antes do teste, não mascar chicletes , beber , fumar ou usar antissépticos bucais . Também é recomendado que ele massageie suas bochechas delicadamente antes de coletar a saliva . O melhor horário da coleta e’ ao acordar, antes de escovar os dentes.

Dr Tercio Rocha 11 mini

Dr. Tercio Rocha
Médico

A Era da Medicina Genética – seu DNA conta tudo

qNk5z1aFvu34RkqFZ6on8NxakPz4e9EIzma0XKk4Xss

A Era da Medicina Genética – seu DNA conta tudo

Após os estudos genéticos com os testes de saliva, a medicina passa a viver uma nova era. Sai a era da medicina de evidência e baseada em estatísticas e entra a era da medicina genética com Tratamentos Genótipo Específicos que se aplicam diretamente no emagrecimento, controle da obesidade, doenças metabólicas, doenças cardiovasculares, doenças neurológicas, doenças psíquicas, câncer, envelhecimento e depressão.

Esses exames vão auxiliar na elaboração de um tratamento adequado para cada indivíduo, com a elaboração de uma dieta semanal, a programação de exercícios e reposição de minerais, vitaminas, aminoácidos e hormônios que o corpo esteja necessitando.

Os hormônios que podem ser analisados no teste de saliva são o estradiol, estriol, testosteerona, GH, melatonina, serotonina, pregnenolona, progesterona, cortisol. Pode ser feito em qualquer idade e leva uma semana para ficar pronto. É recomendado que seja feito em jejum de uma hora somente. Neste período a pessoa não pode tomar água, escovar os dentes ou mastigar chicletes.

O teste de saliva é uma novidade para os tratamentos ANTI-AGING. Através de KITS específicos o paciente colhe 3 amostras de saliva em horários combinados com o médico – ao acordar (jejum) , antes do almoço (jejum) e ao final da tarde (jejum) e envia pelo correio as amostras para o laboratório. Os KITS – fabricados na Alemanha – são submetidos a reagentes específicos que mensuram somente a parte ativa (biologicamente ativa) do hormônio.

Os exames de saliva possuem um diferencial dos exames de sangue. No exame de sangue 70% do total hormonal apresentado não esta’ biologicamente ativo (disponível) , ou seja , não esta’ atuando nos órgãos alvo e por isso mascaram muitos resultados . Clinicamente o paciente apresenta-se exausto, desmotivado, sem libido, triste, com perda de massa muscular, ganho de massa gorda , perda de força, perda de memória e depressivo. Se o médico só olhar o exame de sangue pode ter um resultado incompleto que o levará a crer que não se trata de um desequilíbrio hormonal. Isso se deve porque o exame de sangue não mensura a fração que está atuante, funcional, biologicamente ativa, fazendo seus efeitos esperados no paciente.

Dr Tercio Rocha 11 mini

Dr. Tercio Rocha
Médico

Teste genético prevê agressividade de câncer de pulmão

dp_2843154529922404

Cientistas exploraram atividade anormal de genes para identificar gravidade da doença

Cientistas de instituições de pesquisa da França e dos Estados Unidos descobriram que um teste baseado no funcionamento anormal de 26 genes pode detectar precocemente os tipos mais agressivos de câncer de pulmão. O estudo foi divulgado nesta quarta-feira em artigo na Science Translational Medicine.

“Neste trabalho, nós descobrimos que todas as células de câncer perdem a habilidade de manter silenciados muitos genes que normalmente não deveriam se expressar. Apesar de presentes em todas as células, esses genes são normalmente expressos (ou ativos) apenas em um tipo de célula. Por exemplo, células normais de pulmão não expressam genes que são expressados em células germinativas (que se tornarão espermatozoides), mas uma célula cancerígena de pulmão vai ativar alguns desses genes específicos”, dizem ao Terrapor e-mail Saadi Khochbin e Sophie Rousseaux, da Universidade Joseph Fourier, de Grenoble (França).O que os cientistas fizeram foi explorar essa ativação anormal de genes para prever a gravidade do tumor, sua evolução e possível cura, sendo que, neste trabalho, eles focaram nas células pulmonares. Os pesquisadores descobriram que 26 genes são anormalmente ativados nos tumores mais agressivos de pulmão.

“Em certos casos, testes genéticos detectam genes alterados que podem prever o risco de câncer. Contudo, uma vez que o câncer é diagnosticado, os doutores também precisam de testes adicionais para decidir como administrar a doença e tratar os pacientes”, dizem os cientistas. Um dos dados que o teste indica, por exemplo, é a chance de reincidência da doença após a retirada cirúrgica do tumor, “então os médicos podem ajustar o tratamento e o monitoramento dos pacientes de acordo com o risco de reincidência.”

Medicina personalizada

Segundo Khochbin e Sophie, mais de 10 anos depois da decodificação do genoma humano, a genética caminha cada vez mais para uma “medicina personalizada”. “Na verdade, até mesmo um tipo particular de câncer representa uma entidade muito heterogênea. É, portanto, muito importante saber, para cada tumor, como o tumor irá evoluir e como irá responder ao tratamento – e a qual tratamento.

Estes novos testes irão nos ajudar a aumentar nosso conhecimento sobre as diferenças individuais entre os tumors, ao identificar seu perfil genético (suas ‘características escondidas’). Esta informação detalhada irá permitir aos doutores proporem abordagens específicas e otimizadas de acordo com cada perfil de tumor”, dizem os pesquisadores. Eles afirmam também que o conhecimento maior desse perfil genético do câncer permitirá que casos como o da atriz Angelina Jolie, que previu as chances de desenvolver a doença, se tornem cada vez mais comuns.

Revista ISTO É
Medicina e Bem-estar
de Maio 2013

http://www.istoe.com.br/

TIRANDO DÚVIDAS SOBRE O USO DE GH

crescimento-saudavel2

TIRANDO DÚVIDAS SOBRE O USO DE GH

O GH é um hormônio de crescimento e está presente em todas as pessoas. Ele é produzido pela glândula hipófise, situada na base do crânio, e é muito importante para o crescimento desde os primeiros anos de vida. Para esclarecer as principais dúvidas sobre o uso deste hormônio, o site da SBEM conversou com o Dr. Cesar Boguszewski, diretor do Departamento de Neuroendocrinologia da SBEM, e com a Dra. Margaret Cristina da Silva Boguszewski, professora de Endocrinologia Pediátrica da UFPR, autora do livro “Como os Nossos Filhos Crescem” publicado pela Editora Campus, de onde algumas respostas foram tiradas. Confira:

Normalmente, até quantos anos uma pessoa pode crescer? Existe diferenciação entre homens e mulheres?
Muitas pessoas acreditam que os jovens crescem até os 18 ou até os 21 anos de idade, associando crescimento com maioridade legal. Entretanto, esta não é a realidade. O crescimento é um processo bastante dinâmico que inicia na concepção e se estende até a vida adulta, ocorrendo em intensidades variáveis nas diferentes fases da vida de uma criança e de um adolescente. Cada pessoa irá crescer enquanto seus ossos tiverem cartilagens de crescimento não calcificadas, independentemente da idade cronológica que ela apresente. O amadurecimento e a calcificação destas cartilagens de crescimento dependem principalmente da puberdade. Tomemos como exemplo dois jovens de mesma idade cronológica, porém em diferentes estágios de puberdade: aquele com um desenvolvimento mais avançado da puberdade provavelmente terá as cartilagens mais calcificadas e mais próximo de parar de crescer do que o outro que está apenas na fase inicial da puberdade. Da mesma maneira, uma menina de 10 anos de idade que esteja com as mamas desenvolvidas, com pêlos pubianos e já apresentou a primeira menstruação deve parar de crescer antes do que uma menina de 12 anos de idade que esteja apenas iniciando o desenvolvimento mamário. Este grau de amadurecimento das cartilagens pode ser avaliado com uma radiografia das mãos e dos punhos para avaliação da “idade óssea”.

Há diferença entre meninos e meninas. Nos meninos, a puberdade e o estirão de crescimento começa em média 2 anos mais tarde do que nas meninas. Essa “demora” prolonga o crescimento antes da puberdade, que associado com um estirão mais intenso e um período de crescimento mais prolongado no sexo masculino, resulta que os homens sejam em média 13 cm mais altos que as mulheres.

Quando é recomendado o uso de GH?
O tratamento de reposição (substituição) com GH está indicado em todo indivíduo, independente da faixa etária, que apresente deficiência da produção de GH pela hipófise. A deficiência de GH pode ter início na infância (nanismo hipofisário) ou na vida adulta, consequente, por exemplo, a um tumor da hipófise. Na infância, o GH também pode ser benéfico na baixa estatura em meninas com Síndrome de Turner, em crianças nascidas pequenas para a idade gestacional, nos portadores da Síndrome de Prader-Willi, em crianças com insuficiência renal crônica, entre outros.

Até que idade pode ser feito o uso de GH?
Em geral, nas crianças com baixa estatura causada pelas diferentes etiologias em que o uso de GH está aprovado, o tratamento pode ser feito até que se atinja a estatura final planejada. Em geral, isso não se baseia na idade cronológica, mas sim na idade óssea e na velocidade de crescimento que a criança está apresentando. Naqueles em que o tratamento foi iniciado em decorrência da deficiência de GH, que pode se manifestar desde os primeiros anos de vida, ou naqueles que desenvolveram a deficiência posteriormente (por exemplo, em decorrência de um tumor na glândula hipófise), o GH pode ser iniciado no momento do diagnóstico da deficiência, e muitas vezes é mantido por toda a vida.

Como é feito o tratamento com GH?
O tratamento com GH é feito através de injeções diárias, aplicadas ao deitar, por via subcutânea (isto é, na gordura) nas coxas, braços, nádegas ou abdome. Não existem preparações em formas de comprimidos, sprays, supositórios ou adesivos.

O uso de GH pode gerar efeitos colaterais? Quais são eles?
Em geral, quando usado sob orientação médica o tratamento com GH é bem tolerado e tem poucos efeitos colaterais. Reações locais da aplicação são raras mas podem ocorrer. Raramente o uso de GH pode causar hipertensão intracraniana benigna (“síndrome do pseudotumor cerebral”), que cursa com dor de cabeça, vômitos, alterações visuais, agitação ou alterações da marcha (do ato de andar). Em adultos, os principais efeitos colaterais se relacionam com retenção de água que o GH pode promover, causando inchaço, dores articulares ou musculares, e formigamentos de extremidades, geralmente relacionados com a síndrome do túnel do carpo.

Existem casos em que este tratamento não pode ser utilizado?
O GH não deve ser utilizado em portadores de neoplasias (tumores) malignos em atividade, pacientes com crescimento não controlado de tumores intracranianos benignos, em portadores de diabetes descompensado e naqueles com retinopatia diabética, pacientes aguda e criticamente enfermos por complicações após cirurgia cardíaca, cirurgia abdominal, trauma acidental múltiplo ou insuficiência respiratória aguda.

Há métodos cirúrgicos para crescimento?
Existem procedimentos cirúrgicos para alongamento ósseo, utilizados principalmente quando existe alguma deformidade óssea associada. Pacientes que sofreram algum trauma ósseo, tumor, mal-formações, entre outras situações em que a cirurgia não apenas favorece o alongamento ósseo mas corrige também as deformidades. A cirurgia apenas para aumentar a altura geralmente não é recomendada.

Quem pode recomendar o uso de GH? Ele é vendido apenas com prescrição médica?
Idealmente, o uso terapêutico de GH deve ser indicado por médico endocrinologista ou endocrinologista pediátrico, que são capacitados para isto. Entretanto, qualquer médico pode prescrevê-lo e ele deve ser vendido sob prescrição e supervisão médica.

Quanto tempo dura o tratamento para crescimento?
Depende da causa da baixa estatura, da resposta que se está obtendo e da presença de cartilagens de crescimento que permitam continuar o tratamento. Em uma criança com diagnóstico de deficiência de GH desde os primeiros anos de vida, o tratamento pode ser mantido por muitos anos até atingir a altura adulta.

Em que casos o uso de GH deve ser interrompido?
Quando a resposta não é a esperada, na presença de efeitos adversos, ou quando o paciente não quer mais o tratamento.

Quando os pais podem perceber que uma criança apresenta problemas de crescimento? Existem indicações?
Toda criança deve ser medida e pesada pelo menos uma vez ao ano. Desta forma se tem uma avaliação contínua do crescimento e qualquer desvio do normal será percebido rapidamente. Este acompanhamento regular deveria ser seguido rigorosamente por todos.

Fatores genéticos podem influenciar na altura final de uma pessoa?
Sim. A altura de uma pessoa é resultado da combinação de vários genes (“herança poligênica”) oriundos de seu pai e de sua mãe. Em geral, temos 50% de chance de ter uma altura semelhante à do pai ou da mãe, irmãos tem 50% de chance de ficarem com alturas semelhantes e 25% de semelhança pode ser esperado em relação a altura de avós e tios. Em gêmeos monozigóticos (“idênticos”), cuja carga genética é a mesma, a altura final será praticamente igual, desde que ambos passem pelas mesmas condições ambientais ao longo do período de crescimento. Entretanto, se um deles tiver algum problema nutricional ou alguma doença crônica, ele poderá perder altura e ficar mais baixo em relação ao outro que não enfrentou condições desfavoráveis.

A prática de atividades físicas contribui com o crescimento?
Exercícios físicos são excelentes e recomendados para todas as crianças por diversas razões. Além dos benefícios sobre o peso, a musculatura e a mineralização óssea, a atividade física pode corrigir vícios de postura e, com isso, melhorar a estatura de uma criança. Entretanto, a atividade física por si não deve mudar o padrão de crescimento ou mudar a altura que a criança atingirá na vida adulta. Portanto, atividade física deve ser estimulada, mas não deve ser indicada como solução ou tratamento para um problema de crescimento. Além disso, atividade física extenuante ou muito intensa (geralmente praticada por atletas de nível olímpico) pode prejudicar o desenvolvimento puberal e o crescimento de uma criança.

Qual a relação entre o uso de GH e a prática de exercício físico? Eles podem ser feitos em conjunto?
A criança em tratamento com GH pode praticar todas as atividades esportivas, sem restrição, a não ser que exista alguma restrição pela doença de base. Quanto ao local da aplicação, a medicação é aplicada antes de dormir a noite, de forma que a criança ficará em repouso após a aplicação e não deverá ter atividade muscular que interfira na absorção da droga.

Além do uso de GH, quais as outras alternativas que podem contribuir para o crescimento?
O GH é uma medicação e como tal é uma opção apenas naquelas situações onde comprovadamente ocorrerá um benefício com o tratamento. Da mesma forma, alternativas de tratamento dependem da causa do crescimento inadequado: anemia, hipotireoidismo, entre outros. Quando não existe doença, uma vida saudável, alimentação adequada, atividade física, horas de sono suficiente, tudo favorece um crescimento saudável.

cab_logo_sbem

Autor: SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA

GH, CONHEÇA OS BENEFÍCIOS DO HORMÔNIO DO CRESCIMENTO

Fitness-e-Bem-estar-1

GH, Conheça os Benefícios do Hormônio do Crescimento

As pesquisas sobre suplementos alimentares são constantes. Entre muitas descobertas que foram feitas no campo da nutrição, uma que merece grande destaque é a descoberta sobre o GH (Growth Hormone) ou HGH (Human Growth Hormone), o hormônio do crescimento. Para que se possa ter uma noção mais exata do poder deste hormônio no organismo basta lembrar que ele é tido por muitos como a fórmula da juventude!

O GH atua de forma benéfica tanto para homens como para mulheres, e não apenas para quem busca superar seus próprios limites na hipertrofia, mas até mesmo para quem deseja perder peso – onde o GH poderá executar um papel importante.

A descoberta do GH não é tão atual. Foi feita em 1920 e apenas em 1956 que foi isolado pela primeira vez em forma de somatropina. De lá para cá muitas outras descobertas a seu respeito foram feitas e este hormônio vem sendo utilizado em suplementação alimentar obtendo ótimos resultados.

Por que Utilizar Suplementação de GH?

Talvez esteja se perguntando qual seria o motivo para tomar suplementos alimentares precursores de GH se este é um hormônio natural do organismo. Porém há sim esta necessidade, pois recentes pesquisas apontam que com o passar dos anos vamos perdendo a capacidade de produzir GH.

Com o envelhecimento os níveis de GH vão diminuindo no corpo – após os 30 anos de idade a cada década que passa temos em média uma diminuição de 25% no nível de GH, ou seja, 25% menos GH a cada 10 anos após os 30 anos, veja:

- 20 anos de idade 100% GH
- 30 anos de idade 100% GH
- 40 anos de idade 75% GH
- 50 anos de idade 50% GH
- 60 anos de idade 25% GH

Conheça alguns Benefícios do GH (Growth Hormone)

Os benefícios do GH no organismo são realmente inúmeros, mas aqui poderá conhecer os principais benefícios do GH para seu organismo e também as principais formas de auxiliar seu corpo a produzir GH.

1. GH ajuda a promover a síntese de proteínas, que é um processo fundamental para a recuperação e construção de massa muscular (portanto para quem toma Whey Protein e deseja ter melhores resultados, o GH é um importante aliado)

2. O GH auxilia no metabolismo de gorduras as transformando em fonte de energia – isto o torna um importante aliado de quem deseja perder peso, afinal o corpo passa a queimar gorduras com maior facilidade.

3. Bons níveis de GH ajudam a melhorar a qualidade de sono, diminui a incidência de despertar durante a noite e ainda melhora a qualidade do sono REM (conhecido como sono profundo).

4. Há evidências de que o GH também melhora o desempenho sexual.

5. O GH age no fortalecimento dos músculos.

Como Produzir mais GH Sem Suplementos com GH Diretamente?

Para fazer a reposição direta de GH é preciso ter o acompanhamento criterioso de um médico, pois estará alterando seu equilíbrio hormonal de uma forma artificial. Logo, é sempre aconselhável buscar por meios formais a maneira mais correta de auxiliar seu próprio corpo a produzir mais GH.

Os suplementos alimentares que são vendidos como precursores de GH não possuem o hormônio propriamente dito, mas sim elementos que quando combinados ajudam muito a estimular a produção natural de GH. Nestes suplementos normalmente encontrará os seguintes elementos na composição:

- Arginina
- Ornitina
- Glutamina
- Glicina
- OKG

Há também outras fontes de nutrientes que ajudam, como por exemplo a vitamina C (ácido ascórbico) e também as vitaminas do complexo B, que juntamente com a maioria dos antioxidantes auxiliam na produção de GH.

Além da suplementação há boas práticas que também ajudam a produzir mais GH em seu corpo, como por exemplo a própria prática esportiva e também uma boa qualidade de sono. Pesquisas indicam que cerca de 75% do total de GH produzido por seu corpo é produzido durante o sono, uma boa parte inclusive durante o nono REM (apenas tendo uma boa qualidade de sono se chega ao sono REM).

Algo importante de observar é que apenas um destes itens em separado não irá produzir grandes efeitos em seu corpo, porém a soma de exercícios regulares, suplementação com precursores de GH e uma boa qualidade de sono certamente trarão ótimos resultados, seja para quem pretende ganhar massa muscular, emagrecer ou simplesmente melhorar sua qualidade de vida!

Autor: dietaebeleza_banner2