Confira a dieta do chocolate e emagreça

Você jurou que ia aproveitar o início da semana para começar uma dieta, mas já sentiu aquela vontade tentadora de comer chocolate e acabou burlando o regime. Se essa situação lhe parece familiar, pode comemorar. Um novo chocolate que promete auxiliar no processo de emagrecimento acaba de chegar ao mercado. Com fitoterápicos na formulação, o produto promete acelerar o metabolismo e favorecer a queima de gordura.

Desenvolvido pela rede de farmácia de manipulação Officilab, o chocolate contém goji berry em pó, laranja amarga, picolinato de cromo e psyllium, além de 50% de cacau, o que confere um sabor meio amargo.

cartucho chocolate 20g rev4

- A laranja amarga tem um princípio ativo chamado sinefrina, que estimula a quebra de gordura e promove a redução do peso. Já o goji berry possui polissacarídeos que aceleram o metabolismo e contribuem para a regulação energética. Essa fruta age no controle da obesidade, segundo alguns trabalhos científicos, e ajuda a diminuir a circunferência abdominal – explica a farmacêutica Cláudia Souza, da Officilab.

O psyllium é uma fibra que prolonga a sensação de saciedade e pode minimizar a absorção de gordura no intestino. O cromo, por sua vez, auxilia na perda de peso ao modular os níveis de glicose (açúcar) no sangue.

- É um chocolate que pode ser consumido por todas as pessoas, inclusive diabéticos e hipertensos, porque é isento de açúcar, lactose, glúten, gorduras trans e sódio – completa Cláudia.

Para quem quer emagrecer, o ideal é usar o produto como um complemento da dieta, consumindo-o no lanche do meio da manhã ou da tarde.

Camila Muniz para o jornal EXTRA

Clique em www.bemdemais.com.br e saiba mais.

0 chocolate 3

Obesidade infantil – Como os pais podem ajudar?

Ops-sem-exageros

Se a criança ou adolescente está acima do peso, sofre preconceito e pressão na escola, dos amigos e no próprio ambiente familiar, através dos irmãos e mesmo dos pais. É comum os avós contrariarem as orientações dos pais, apoiando o consumo de alimentos calóricos e os irmãos atribuírem apelidos.

Os pais podem ajudar da seguinte forma:

a) Companheirismo

- Procure ser mais companheiro das crianças, reservando pelo menos uma hora do dia para dedicar-se apenas aos seus filhos;

- Fazer atividades físicas ao ar livre junto com seu filho ajuda bastante. Tente jogar bola, andar de bicicleta, fazer um passeio no parque;

- Algumas brincadeiras, mesmo dentro de casa podem ajudar, como pular, dançar, ou mesmo aqueles jogos, tipo tapetes, em que a criança e os pais devem pisar no quadradinho certo, obedecendo ao ritmo de uma música.

b) Atividade física

- Matricular a criança em algum esporte. Isto ajuda a melhorar a aptidão física e a auto-estima. Crianças muito obesas poderão ter dificuldade, ou mesmo vergonha. Talvez possam começar com atividades recreativas e caminhadas, preferencialmente acompanhadas dos pais. Após uma pequena redução no peso, a criança melhora a auto-estima e a aptidão, estando preparada para enfrentar desafios maiores, como um esporte individual ou coletivo.

c) Alimentação da família

- A alimentação da família deve ser adequada àquilo que a criança deve comer. Nenhuma criança tem necessidade de guloseimas, salgadinhos, balas, doces, sorvetes, fast-food, refrigerantes sucos artificiais. Esses ítens podem ser esporádicos. Ter firmeza e argumentar em favor da saúde é uma saída, inclusive quando existe na mesma família uma criança magra. Por outro lado, toda criança necessita, para o seu desenvolvimento, de frutas, verduras, carne, leite e ovos, pois a falta de nutrientes pode gerar doenças. Aqui entra a questão do limite, tão importante para a criança quanto difícil para alguns pais. Ser permissivo nesse quesito pode significar a diferença entre a saúde e a doença, entre a adequação e a eterna busca pelo peso ideal.

d) Percepção de saciedade

- Culpar a criança por consumir uma quantidade ou tipo de alimento inadequado não resolve. Se a criança toma refrigerante é porque alguém comprou. Por outro lado, se ela come uma quantidade excessiva de alimentos é porque não consegue perceber quando está saciada.

- Os pais podem ajudar:

Solicitar que o pequenino faça uma pausa após consumir determinada quantidade de alimento;
Pedir que respire bem fundo e calmamente, pelo menos por 3 vezes;
Colocar levemente as mãos sobre o estômago;
Fechar os olhos e tentar perceber o quanto o estômago dele está cheio ou vazio;
Se a criança julgar que ainda tem fome, pode comer um pouquinho mais e repetir o procedimento.
A repetição desta estratégia faz com que a criança perceba, ao longo do tempo, quando o estômago está cheio. O ideal é parar de comer antes que fique completamente cheio.

Deve ser explicado que, assim, o estômago não aumenta de tamanho e são evitadas dores estomacais, azia e mal-estar por comer demais.

e) Determinação de horários

Depois de todo o exposto acima, fica fácil apontar onde estão os erros que levararm ao excesso de peso. Inicialmente, toda criança, ou mesmo adulto, necessita de uma certa dose de disciplina. E não existe disciplina sem horário.

- Determinar os horários de dormir e acordar, seguindo as recomendações de cada faixa etária, é o primeiro passo para uma vida saudável.

- Posteriormente os horários das refeições devem ser ajustados. É impossível realizar uma reeducação alimentar sem horários determinados. A criança deve fazer 3 refeições por dia e de 2 a 3 lanchinhos nos intervalos, comendo a cada 3 horas aproximadamente;

- O tempo dedicado à televisão, vídeo game e computador deve ser limitado a 2 ou 3 horas por dia;

- Reservar, no mínimo, 1 hora por dia para atividades físicas;

- E o restante do tempo deve ser para brincar com outras crianças.

A importância do desjejum

O desjejum é talvez a refeição mais importante, pois é o momento em que o organismo mais necessita de energia, já que tem o dia todo para gastá-la. Por outro lado, é a refeição mais negligenciada, em função da pressa e porque a maioria das pessoas não sente fome pela manhã.

A inversão dos horários de sono leva também a inversão nos horários de fome. Os adultos e mesmo as crianças ficam, até tarde, na frente da televisão e do computador e acabam sentindo fome. Comem e vão dormir. Claro que essa refeição não foi gasta, levando-os a engordar. Consequentemente, não sentem fome pela manhã. Acordam em cima da hora e vão correndo para as suas atividades.

Ano após ano o ciclo se repete, contribuindo cada vez mais para a obesidade. Inverter esse hábito é difícil, mas deve ser iniciado com a redução gradual dos alimentos no horário da noite e a introdução gradativa do desjejum, até que o hábito se fixe. A realização do desjejum, o parcelamento das refeições em 5 a 6 por dia e a redução do hábito de comer noturno, contribuem para um metabolismo mais saudável, com maior gasto de energia, mesmo que o consumo de calorias permaneça igual.

Fonte: Livro Obesidade Infantil

Significado de Glúten

O que é Glúten

Glúten é uma proteína composta pela mistura das proteínas gliadina e glutenina, que se encontram naturalmente na semente de muitos cereais, como trigo, cevada, centeio e aveia. Para algumas pessoas, a ingestão de glúten provoca danos na parede do intestino delgado, acarretando prejuízos para a saúde.

gluten-nas-alergias-tardias_dt

Qualquer receita ou produto alimentar que apresenta na sua composição algum desses alimentos, vai possuir glúten, mesmo que em pequenas quantidades.

É muito frequente surgir em determinadas embalagens de produtos alimentícios a frase: “Contém glúten”. É um alerta para as pessoas intolerantes ao glúten não consumirem aquele produto.

O glúten se encontra no endosperma dos grãos de amido. A sua capacidade de absorção de água e a sua viscosidade conferem à massa de farinha as propriedades que a tornam apta para a panificação. Como subproduto na obtenção do amido, é usado no fabrico de rações e alimentos ricos em proteínas e para a produção da glutamina.

Quando ingerido em excesso, o glúten pode provocar a diminuição da produção da serotonina, o que leva a um quadro de depressão mesmo nos indivíduos que não possuem nenhum problema de hipersensibilidade a essa proteína.

O excesso de glúten também propicia o aparecimento de psoríase e de artrite psoriática.

Intolerância ao Glúten

A doença celíaca é a principal manifestação de intolerância ao glúten. Trata-se de uma desordem do sistema imunológico que provoca danos na mucosa do intestino delgado. É uma doença crônica que exige por toda a vida a total eliminação do glúten na dieta alimentar.

Acredita-se que a doença celíaca seja desenvolvida por pessoas geneticamente suscetíveis, porém uma infecção viral ou bacteriana pode dar início a essa doença.

Glúten e Obesidade

Existem dietas que excluem totalmente o glúten da alimentação, porque algumas pessoas afirmam que o glúten está diretamente relacionado com a obesidade. Existe um livro da autoria de Regina Racco intitulado Glúten e Obesidade: A Verdade Que Emagrece, onde essa ligação é feita. Apesar disso, especialistas afirmam que a eliminação total do glúten só é aconselhada a pessoas que sejam intolerantes a essa proteína.

Nutricionistas também afirmam que como o glúten está presente em muitos carboidratos, a redução do glúten na alimentação implica uma redução nas calorias e consequentemente no peso, algo que acontece em qualquer tipo de dieta, com ou sem restrição do glúten.

Publicado no Significado.com.br

Os mais variados tipos de açúcar para cada tipo de alimento

acucar

Cristal, refinado, de confeiteiro, orgânico, light ou magro, mascavo, demerara e vanille. São vários os tipos de açúcar disponíveis no mercado, isto sem falar em outras substâncias naturais usualmente utilizadas para adoçar, como o mel. Mas para quem pensa que é tudo igual, engana-se. Além das cores e texturas diferentes, os açúcares têm matérias-primas, processos de produção e até teor calórico diferenciados, o que torna algumas opções mais recomendáveis que outras.

As nutricionistas Anna Paola Conde e Vânia Barberan destacam a importância de se conhecer os diversos açúcares e suas indicações. Para elas, a escolha deve ir além do tradicional refinado, um dos tipos mais consumidos pelos brasileiros.

“Este tipo de açúcar passa por diversos processos de produção, como cozimento, clareamento e refino, e deve ser usado apenas na falta dos outros. Já o de confeiteiro possui ainda mais processos e acréscimo de ingredientes desumidificantes, sendo indicado apenas no preparo de doces e confeitos”, orienta Vânia.

Considerando os riscos do refinamento à saúde (em decorrência da adição de produtos químicos que o deixam soltinho, branquinho, fininho e pobre em termos nutricionais), o orgânico seria o mais indicado, seguido do cristal. Mas, independentemente da escolha, Anna alerta para o controle do produto, que deve sempre ser consumido o mínimo possível, sob risco de levar à obesidade e suas comorbidades, como a diabetes e doenças cardiovasculares.

Questionada sobre a melhor opção, Vânia considera o açúcar demerara, também conhecido como dourado devido à sua coloração, por ter sofrido menor processo de refinamento, além de não alterar o sabor do alimento que está sendo adicionado (que é o caso do mascavo), principalmente sucos, café e leite.

Outra opção saudável, quando moderada, é substituir o açúcar pelo mel ou melado, em frutas, bolos e doces. Ou ainda, a calda de agave (cacto) e a glicose de milho.

“Melhora a qualidade do alimento, já que esses produtos são integrais e oferecem algumas vitaminas e minerais além do carboidrato”, informa Vânia, acrescentando: “O açúcar, principalmente o refinado, não é necessário para a nossa vida, é somente mais uma fonte de carboidratos e deveria estar presente na sua forma original, que é compondo o alimento de origem, assim ao ser ingerido seria acompanhado de fibras, vitaminas e minerais que enriqueceriam a refeição. Não vejo problema no uso do melado acompanhando uma fruta, mas aconselho sempre o consumo da fruta pura”.

Anna, no entanto, reforça que o ideal seria não usar qualquer substância para adoçar o alimento.

“Este é um hábito desnecessário em alguns casos. Devemos aprender a gostar dos alimentos com o sabor deles e não alterar com um adoçante. O consumo de frutas ou sucos deveria ser sem nenhum acréscimo de algo doce, caso a fruta não esteja madura o suficiente para estar doce, podemos misturar com outra mais adocicada ao invés de acrescentar o açúcar”, diz.

Já sobre a febre do momento, o açúcar light ou magro, que possui até 50% menos calorias que os demais, Vânia faz ressalvas quanto ao seu uso, uma vez que além do processo de refinamento, tem acréscimo de adoçantes, como o aspartame, em sua composição.

“Não aconselho o uso desse açúcar pela população, porque se ele tem adoçante, é necessário algum controle para se saber o consumo diário, e não tenho visto grandes resultados no emagrecimento só com essa mudança. Acredito em uma série de alterações nos hábitos alimentares como possibilidade de emagrecimento”, conclui, indicando-o apenas aos diabéticos, e com moderação.

por Pamela Araújo
para O FLUMINENSE

Emagrecer com berinjela (água e farinha)

download (1) agua (1)

Emagrecer com berinjela é uma forma eficiente de perder barriga pois ela sacia a fome e ajuda na eliminação da gordura.

Tomar diariamente a água de berinjela confere fibras que vão ajudar no bom funcionamento intestinal e além disso a berinjela pode ser utilizada para para combater o mau colesterol e problemas digestivos.

Para preparar a água de berinjela para emagrecer descasque 1 berinjela e deixe de molho em 1 litro de água por toda a noite. Pela manhã, bata tudo no liquidificador, coe beba durante o dia essa água de berinjela sem adicionar açúcar.

Para emagrecer com berinjela é importante fazer o suco e ir tomando durante o dia como se fosse água. Além de hidratar a pele, este suco confere uma sensação de saciedade, diminuindo o apetite e, por isso, auxiliando em dietas de emagrecimento, além de ter um efeito redutor do colesterol ruim.

É importante saber que não basta somente beber o suco da berinjela, é preciso também cuidar da alimentação, seguindo um plano alimentar pobre em gorduras e balanceado e também fazer alguma atividade física regular para conseguir emagrecer de forma saudável e não voltar a engordar.

A farinha de berinjela para emagrecer é uma ferramenta a mais para aumentar a eficiência das dietas de emagrecimento e deve ser usada duas vezes ao dia, de manhã e à noite.

Para usar corretamente a farinha de berinjela, adicione 1 colher de sopa da farinha no prato, ao almoço e jantar por exemplo. Após a refeição, comer uma fruta cítrica potencia seu efeito emagrecedor e também redutor do colesterol mau.

A berinjela é um dos muitos alimentos funcionais que ajudam a reduzir o colesterol, diminuir as gorduras localizadas, fortalecer o coração, diminuir os riscos de diabetes e ainda tem um alto teor de fibras, que além de diminuir a fome, melhora o funcionamento dos intestinos e aumenta a disposição.

A farinha pode ser consumida em iogurtes, sucos ou misturadas em saladas, sopas, feijão e etc.

por Tatiana Zanin (Nutricionista)
publicado no site TUA SAÚDE

Perca 3kg em um mês!

302746_549237491758274_1176804689_n

Fazer uma dieta com um cardápio supervariado é a maneira mais fácil (e prazerosa) de entrar na forma desejada. E que tal reduzir o peso em até 3 kg, isso sem muito esforço? E o melhor: você ainda poderá montar suas próprias refeições rapidinho, sem ter muito trabalho.

Toda essa facilidade é encontrada nessa dieta – que é ideal para quem mora sozinha ou tem pouco tempo para desperdiçar com o preparo das refeições diárias.

Praticidade

Para fazer essa dieta você precisa apenas ter um freezer e um microondas (que podem ser substituídos pelo congelador da geladeira e pelo forno convencional).

Mas tenha atenção ao fazer as substituições das refeições diárias. É preciso entender que elas devem ser realizadas pelas mesmas mercadorias (de sabores variados) ou pelos mesmos grupos de alimentos.

Um exemplo? Se o café da manhã deve ser feito com um shake pronto de morango, você pode efetuar a troca por outro sabor como baunilha, ou até por um capuccino pronto. Cabe a você ter o bom senso de não escolher produtos altamente calóricos e sabotar a sua própria dieta.

Uma dica para desacelerar a fome é sempre fazer pequenos lanches de manhã e à tarde. O da manhã precisa ser realizado de duas a três horas antes do almoço. Já o da tarde deve ser feito de três a quatro horas antes do jantar.

Produtos de qualidade

Rotina é uma palavra que não faz parte dessa dieta – o que ajuda você a não enjoar com o passar dos dias. Toda diversificação fica por conta da variedade no cardápio que é baseado em alimentos prontos ou congelados como peixes, carnes, frangos, ervilha, brócolis, entre outros.

A indústria alimentícia do Brasil é extremamente boa e com alto padrão de qualidade e todos os produtos congelados vendidos por aqui geralmente possuem alto teor nutritivo, por isso não há com o que se preocupar.

Contas mágicas

Para que o programa dê certo é importante você não ultrapassar o valor calórico das refeições que, no final do dia devem totalizar, no máximo, 1500 calorias. Veja a seguir como as calorias devem ser divididas durante o dia:

CAFÉ DA MANHÃ

200 calorias

LANCHE DA MANHÃ

250 calorias

ALMOÇO

400 calorias

LANCHE DA TARDE

250 calorias

JANTAR

400 calorias

Cardápio diário básico
AO ACORDAR:

copo de água

CAFÉ DA MANHÃ:

1 copo (300ml) de suco de fruta light

1 fatia de pão diet

2 fatias de peito de peru

LANCHE DA MANHÃ:

1 shake com o sabor de sua preferência (pronto)

1 barra de cereal de qualquer sabor

ALMOÇO:

salada mista com brócolis, milho verde e alface (temperada com azeite) à vontade

1 porção de lasanha bolonhesa congelada

1 copo (300ml) de mate adoçado com adoçante ou suco light pronto

LANCHE DA TARDE:

1 pão-arabe

2 fatias de queijo-de-minas

2 fatias de presunto de frango

JANTAR:

1 filé a parmegiana congelado

4 colheres (sopa) de arroz pronto

legumes à vontade

Toques importantes

Sempre olhe a quantidade calórica dos produtos que está adquirindo.

Mantenha a sua dieta em apenas 1500 calorias diárias.

Não acumule refeições (pulando uma delas para comer mais na próxima).

Respeite a quantidade de calorias de cada refeição. Caso passe um pouquinho em uma refeição, compense na próxima.

Aprenda a ser pontual com as refeições para manter a regularidade da dieta.

Nas entradas (almoço e jantar) coma saladas de legumes e verduras.

Todos os alimentos congelados estão liberados. Mas use o bom senso e escolha os menos calóricos.

Nunca é demais lembrar da importância de se praticar uma atividade física. Escolha aquela que mais lhe agradar.

Dr Tercio Rocha 11 mini

Dr. Tercio Rocha
Médico

Fuja dos falsos amigos da dieta para emagrecer de verdade

content_14158

Queijo branco, torrada e chocolate diet são traiçoeiros, vilões do mais bem-intencionado dos regimes. Revelamos o lado oculto desses bandidos disfarçados de mocinhos

É automático: todo mundo associa maçã à dieta. Queijo branco também. Porém, ao contrário do que se imagina, vários dos alimentos que se tornaram símbolos do regime alimentar nem sempre merecem a fama que tem. Não que eles não sejam recomendáveis. São, sim. Mas nem tanto para enxugar medidas. Há outras opções bacanas para quem, além de emagrecer, busca variar o menu. Com a ajuda da nutricionista Cynthia Antonaccio, diretora da Equilibrium Consultoria em Nutrição e Bem-Estar, de São Paulo, nós mostramos o lado B desses amigos-da-onça.

1. MAÇÃ
Ela é praticamente o ícone número 1 da dieta. De fato, tem muitos nutrientes e fibras, que seguram o gatilho da fome. No entanto, há quem jure de pés juntos que a fruta deixa um buraco no estômago. Esse é o seu caso? Isso acontece porque, apesar do alto teor fibroso, trata-se de uma fonte de carboidratos simples, como a frutose, que é absorvida rapidamente pelo organismo. Um outro ponto a se considerar são as calorias: uma pequena maçã tem cerca de 70, enquanto uma grande, 100. E sabe quantas estão em uma banana nanica? 78! Ainda assim, coitada, o fruto da bananeira leva a fama de fazer engordar. Uma injustiça. Porque ele também é rico em fibras insolúveis, que mantêm a glicemia estável, driblando a fome e a produção excessiva de insulina. A banana é capaz até mesmo de dar maior saciedade do que a popular maçã por apresentar mais amido (um carboidrato complexo, presente em maior quantidade nas menos maduras) e uma textura encorpada. E não pára por aí: a banana preserva a saúde da flora intestinal e contém vitamina B6, que alivia sintomas da TPM. Assada com canela na forma de sobremesa, é uma ótima pedida para o paladar de quem não dispensa um sabor adocicado ao final da refeição.

2. QUEIJO BRANCO
Quem nunca apostou num sanduíche mega-recheado de queijo branco como refeição magrinha? Xiiiii, você sabe quantas calorias tem o queijo branco? Uma fatia do tipo minas (30 g) soma 66. Já 1 porção fina (15 g) de mussarela tem 46 e uma grossa (30 g), 92. Ou seja, o branco não é tão econômico assim e acaba pesando no prato por uma simples razão: Esse tipo é geralmente cortado em fatias bem grossas e, no final, as pessoas acabam comendo muito, alerta Cynthia. Basta lembrar o tamanho dos sanduíches feitos em lanchonetes ou padarias que levam o tal recheio eles são bem grandinhos. Além disso, o queijo branco (assim como a mussarela e o queijo prato) também é rico em gorduras saturadas (que podem fazer mal à saúde, principalmente a do coração, quando consumido em excesso). Pudera, é feito com leite integral. Tem também um teor alto de sódio, que provoca hipertensão. Atenção: ninguém aqui está sugerindo que você exclua o queijo branco do cardápio. Mas dê preferência à versão light e limite sua quota a 2 fatias finas por vez. Vale até mesmo optar por 2 pedaços também fioas de queijo mussarela vez ou outra. Melhor mesmo é apostar na variedade, alternando com o peito de peru ou presunto (sem capa de gordura), acompanhado de itens mais leves, como 1 colher de sopa rasa de requeijão light (40 cal) ou de margarina light (32 cal) ou de maionese light (29 cal).

3. TORRADA
Muita gente desistiu do pão por achar que ele é um tremendo vilão, mas se esbalda com torrada afinal, ela está muito associada a regime. O motivo? Mistéeeerio… Na verdade, torrada é pão sem água. Acontece que a água ajuda a saciar mais. Logo, um pão, no caso, doma mais o apetite do que uma torrada. Seu teor crocante é outro fator que gera uma certa compulsão basta lembrar dos salgadinhos de pacote. Não precisa cortar esse ingrediente do menu. Só é preciso comer com consciência. E saber que o pão pode entrar, sim, na sua dieta, de preferência na forma integral. Alguns dados: 1 torrada light tem em média 35 calorias, enquanto 1 fatia de pão integral light, 50.

4. CHOCOLATE DIET
Basta aparecer o termo diet na embalagem de um produto para associá-lo a um alimento inofensivo. Errado. No caso do chocolate diet, só não tem açúcar e é voltado para quem não pode consumir esse ingrediente. Porém, para compensar a falta do componente açucarado, a barrinha apresenta na fórmula maior teor de gordura. Do contrário, a consistência não seria a mesma. Logo, a versão diet não é nada indicada para quem quer emagrecer. Já o chocolate light, esse sim tem redução de no mínimo 25% nas calorias em relação à versão original. Porém, cada fabricante decide o quanto, podendo diminuir até mesmo mais do que o normal. Se o seu objetivo for adoçar a boca, vale a pena apostar numa barra pequena (de 20 a 30 g), mas dê preferência ao chocolate amargo mesmo que não seja light. É que ele, sem a menor sombra de dúvida, sacia a fome e reduz a vontade por doce, além de ser riquíssimo em antioxidantes, que ajudam a manter a saúde em alta.

5. SUQUINHO
Se for para acompanhar a refeição, muito cuidado nessa hora. Prefira os tipos naturais não tão concentrados, como maracujá, acerola, limão. Os de melancia, abacaxi, açaí e os combinados de frutas, além dos clássicos laranja e tangerina, também são saudáveis. No entanto, como entram muitas fatias ou várias unidades da fruta, a bebida, no final das contas, acaba pesando na balança. Na hora do almoço ou do jantar, vale recorrer aos sucos prontos de caloria reduzida. Eles não são tão nutritivos como os naturais e feitos na hora, mas certamente são uma alternativa mais vantajosa do que os refrigerantes lights. Agora, se quiser recorrer ao suco como lanche da tarde, aí sim vale se deliciar com aquele preparado com a fruta de sua preferência, mas sem açúcar, claro.

por CARLA CONTE
Publicado no site Saude.abril.com.br

O CAMINHO PARA O EQUILÍBRIO DO CORPO – Como perder 2-3 kg rapidamente?

302746_549237491758274_1176804689_n

O CAMINHO PARA O EQUILÍBRIO DO CORPO

Como perder 2-3 kg rapidamente?

Primeiramente para perder peso você tem que querer e saber que o rápido não existe, o que acontece é uma contrução de um caminho saudável. Por exemplo: ao invés de descansar mais uma hora em sua cama, que tal uma caminhada de 40minutos diária? Já faz a diferença e deixará o seu corpo mais contente e o metabolismo chegará a aumentar e assim perderás peso com o tempo.

Mas, para quem deseja perder peso rapidamente, em 3 semanas, aconselho a beber água, caminhar, comer menos carne vermelha e mais vegetais e legumes e reduzir a massa do cardápio, se puder cortar refrigerentas e acrescentar suco, pode ser o de sua preferência.

Daí, com uns quatro dias nesse processo você perceberá que a perda de peso é uma caminhada eterna, imagino eu que você aí não queira ficar no “efeito sanfona de ser” para a vida toda né? Pois bem, o primeiro passo sempre é o mais difícil, mas associado com o querer e com a nova postura e adaptação de seus desejos e necessidades a perda de peso é apenas uma consequência de suas ações.
Leia, pense , compartilhe a aja! Boa Caminhada!

Coolaboração de Rita Machado

Jornalista Profissional, sob registro de nº 2651/CE com experiência em criação de conteúdo digital; assessoria de imprensa; assessoria de comunicação, planejamento de mídias digitais;
Facebook: https://www.facebook.com/ritajornalista
Contato: 21-97549897

As profissões que mais engordam

size_590_homem-gravata-gordo

De acordo com pesquisa do Career Builder, profissões com índices elevados de stress e longas jornadas de trabalho são as que possuem o maior número de profissionais com sobrepeso. No topo ranking, feito com base em entrevistas com mais de 3,6 mil profissionais, a carreira de assistente administrativo é a que engorda mais.

Ao todo, 69% dos profissionais que atuam neste setor afirmaram que têm propensão a ganhar peso. Os engenheiros estão na segunda posição da lista com 56% do votos. Os professores e instrutores completam o pódio – 51% deles falaram que tem facilidade para ficar com sobrepeso. Veja a lista completa:

Assistente administrativo 69%
Engenheiro 56%
Professor/Instrutor 51%
Enfermeiro 51%
Gerente de TI/Administrador de redes 51%
Advogado/Juiz/Profissional jurídico 48%
Operador de máquinas 45%
Cientistas 39%

Agora, além do stress, alguns hábitos diários que muita gente segue à risca no trabalho podem colaborar para os quilos a mais no fim do dia. Confira quais são eles, segundo os entrevistados:

1 Ficar sentado o dia todo é, para 56% dos entrevistados, o pior vilão da balança durante o expediente

2 Já para outros 35%, o desejo de comer por conta do stress explica o ganho de peso no trabalho

3 Não ter refeições em horários regulares foi apontada por 26% deles

4 Um recipiente cheio de doces ou a lanchonete com tudo de graça: a tentação de guloseimas disponíveis a qualquer hora do dia tornou-se vilã do peso de 17% dos entrevistados

5 Administrar bem o tempo não é tarefa fácil. E ter que pular refeições por conta disso é sinônimo de quilos a mais para 17% dos entrevistados

6 As festinhas no escritório para comemorar aniversários foram apontadas por 17% dos entrevistados como um dos motivos para os quilos extras

7 O amigo da baia ao lado que sempre traz um petisco para o trabalho pode ser o responsável pela briga com a balança diário. Para 9% dos profissionais, a pressão por aceitar as guloseimas alheias é um fator importante para engordar.

8 E, por fim, são os happy hours após o expediente que, realmente, engordam segundo 4% dos entrevistados

Site da EXAME
Talita Abrantes, da Exame

Emagrecedor à base de sibutramina deve ficar no mercado, diz Anvisa

Sibutramina-hg

Anvisa decide manter venda de emagrecedor a base de sibutramina

A diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu nesta segunda-feira (27), por dois votos a um, manter no Brasil o comércio de medicamentos emagrecedores a base de sibutramina.

A decisão ocorre depois de a área técnica da agência realizar ao longo de um ano estudos sobre os riscos do medicamento para a saúde humana.

Desenvolvida como antidepressivo, a sibutramina é uma substância aplicada no tratamento de obesidade, vendida mediante prescrição médica. Em 2011, a agência impôs regras mais rigorosas para o comércio.

A validade da receita médica, por exemplo, foi reduzida de 60 dias para 30 dias. A medida foi tomada em virtude de um dos principais estudos científicos já feitos sobre a sibutramina, chamado de Scout, que apontou que o medicamento aumentaria em 16% o risco de doenças cardiovasculares em pacientes com histórico prévio.

A pesquisa Scout (Sibutramine Cardiovascular Outcome Trial) fez a agência reguladora europeia banir a sibutramina. Estados Unidos, Canadá e Austrália também baniram o produto. O estudo contou com 9 mil pacientes obesos, monitorados durante cinco anos. Parte deles recebeu sibutramina e outra parte tomou uma medicação sem efeito (placebo).

Debate

Nesta segunda, a reunião do colegiado da Anvisa discutiu a implementação das normas de 2011 que restringem a venda de sibutramina.

O membro do colegiado, José Agenor Silva, que havia pedido mais tempo para analisar o processo, foi o único dos atuais três integrantes da diretoria a votar pela suspensão imediata da venda de produtos com a substância no país — o colegiado é formado por cinco membros, mas, atualmente, duas cadeiras que compõem a diretoria estão desocupadas.

Segundo Silva, que é diretor de controle e monitoramento sanitário da Anvisa, os estudos já realizados sobre a sibutramina ainda não permitem especificar todas as reações adversas que o produto pode causar. “Não sendo possível especificar quais são as principais reações observadas, não é possível avaliar a correspondência entre a gravidade dessas reações e as medidas que foram adotadas pelas empresas”, disse o diretor.

De acordo com Silva, outros países que se basearam no mesmo estudo internacional que a Anvisa sobre a sibutramina acabaram banindo o comércio com a substância.
“Na literatura internacional sobre o tema e em eventuais manifestações das agências reguladoras internacionais não foram identificadas nenhuma mudança no perfil de eficácia e segurança do medicamento em relação ao que foi considerado à época da proibição de uso dos países regulados. Por esse motivo, o medicamento segue proscrito (proibido) para sua utilidade em todos aqueles países e na União Europeia”, afirmou.

O diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Barbano, defendeu a manutenção da venda do produto considerando o relatório que a Anvisa apresentou em 2011. Segundo ele, o documento tem conclusão diferente da apresentada no estudo internacional. “Esse texto [que estava sendo discutido] não se refere ao estudo Scout, se refere às conclusões que nós chegamos quando nós decidimos pela manutenção do produto no mercado. E nós decidimos manter a venda com restrições”, afirmou Barbano.

Decisão válida por dois anos

De acordo com o Barbano, a decisão desta segunda vale por pelo menos dois anos, quando um novo relatório deverá ser divulgado pela Anvisa apontando a manutenção ou proibição da venda do produto.
“A sibutramina fica no mercado com as mesmas regras de hoje, os mesmos limites de quantidade para prescrição, a obrigatoriedade do termo de responsabilidade por parte do médico. Somente aqueles pacientes cujos riscos não foram identificados no estudo Scout estão usando a sibutramina”, disse o diretor da Anvisa.

Felipe Néri
Do G1, em Brasília