COACHING DE EMAGRECIMENTO – Uma nova imagem, qualidade de vida e foco para viver

coaching-emagrecimento-oficial

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) a obesidade é apontada como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. A projeção é que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso; e mais de 700 milhões, obesos. O número de crianças com sobrepeso e obesidade no mundo poderia chegar a 75 milhões, caso nada seja feito.

O segredo do sucesso, seja em programas de emagrecimento ou qualquer outro que você realmente deseja alc

O processo de Coaching atua na reconstrução da auto imagem, com foco na saúde e auto estima, trabalhando sempre o presente e onde você quer chegar. Considera a singularidade de cada um, identificando traços de personalidade, competências, habilidades, estilo e comportamento.

Alcançar um resultado mensurável, está não apenas em técnicas, mas principalmente no autoconhecimento.

”Foco no presente e onde você quer chegar.”

danielle vettori

Danielle Vettori - Psicóloga formada pela Universidade Veiga de Almeida com especialização em Psicologia Clínica pela PUC-Rio. Coaching pela pela Sociedade Latino Americana e Consultoria de Imagem Pessoal pela Ecole Supérieure de Relooking – Paris.

contato@daniellevettori.com.br / Whatsapp para 21 98222-0033

RENASCER

M ULHER NUA

A cada dia mais, estou me familiarizando com as palavras e o ato de escrever. Observo que é algo realmente muito bom e o quanto me faz bem. Escrever é mais um exercício que todo ser humano pode fazer e que traz grande benefício a sua saúde mental e psíquica.

Cada um de nós, penso eu, deveria escrever a sua própria história. Isso seria realmente fantástico e daria ao indivíduo a oportunidade de se emocionar novamente com algo que havia sido esquecido há muito tempo.

Passo a passo a nossa jornada de vida continua, e todos os dias, a cada instante, somos levados a arregaçar as mangas e a lutar heroicamente pelos nossos sonhos e ideais. E porque não, a revisitar antigas paixões e resgatar velhos planos?

Refletindo… questiono : O que é ser e sentir para quem não tem desejo, para quem não tem um propósito?

O que esperar desta vida? O que devemos fazer se não conseguimos nos sentir capazes de realizar o que é necessário para o crescimento da nossa alma? Somente esperar e deixar o tempo passar?

Acredito que a busca pelo auto conhecimento, o equilíbrio sobre as próprias ações e sentimentos, permite um encontro real com a nossas próprias verdades.

“Só aquilo que somos realmente tem o verdadeiro poder de curar-nos.” – Carl Jung -

Neste momento as horas passam e percebo claramente que passam as pressas, e por isso, talvez, parece que estamos sempre perdidos e confusos, atrasados ou adiantados demais.

Mas, o que são as horas? Qual é o seu papel na nossa história?

As horas são ingratas para os que amam e sentem saudades e frias para aqueles que só podem esperar?

Ou as horas são nossas aliadas e assim como o tempo nos ajudam em nosso processo de aprendizado em busca da felicidade?

Sei que não existe uma receita de vida que sirva para todos, mas não podemos esquecer de alguns sábios ensinamentos que nos permitem dar continuidade ao nosso processo de crescimento e amadurecimento.

Por isso, incansavelmente me pergunto: Quem eu sou? O que fui?

Hoje me faço mil perguntas e as respostas estão contidas nas centenas de histórias existentes nesse mundo e nas horas que não param…

Sou o que todas são. Sou uma, entre tantas mulheres que se doam através de seus sentimentos.

Sou aquela que agora não suporta mais calar e fui aquela que não tinha coragem de falar.

Tinha medo. Hoje tenho medo de ter medo!

Sou ousada e gostei da ousadia. Sou porque provei o gosto de ser feliz.

Ele começa com um leve frio na barriga e termina com o toque quente do abraço do amor verdadeiro.

Hoje, percebo que para sermos cuidadas e amadas é muito simples. Só depende de nós e do outro se despir também de seus pequenos egoísmos e se deixar levar pelo balanço do mar.

Ouvir o som do mar é o mesmo que ouvir a respiração de Deus. É permitir ouvir aquela resposta a tantas duvidas que surgem ao longo do dia.

Aqui, dentro do meu peito, não tem só sangue e carne, corre nas veias um Universo esplêndido e cheio de luz. Por isso as palavras saem como borbulhas e doces feito o mel, porque sou assim.
Vida, o que será que ela espera de mim? E você, já pensou assim?

De uma resposta eu tenho certeza que sei. Ela espera o meu sorriso, o meu agradecimento, os meus erros até constantes, porque sem eles não haveria os acertos e entendimentos.

” Erros são, no final das contas, fundamentos da verdade. Se um homem não sabe o que uma coisa é, já é um avanço do conhecimento saber o que ela não é “. -Carl Jung -

Então, não esqueça : ” Há uma alegria selvagem em estar vivo. Há uma embriaguez da existência.

Cada hora é uma amante para o meu desejo infinito “. – Arthur Lundkvist -

Vida…. Essa sou eu, um eterno renascimento !

foto

Dra. Márcia de Cicco – Psicóloga – CRP-05/19643
Contato: 21-8129 9405
E-mail: marcia.pcr@hotmail.com
Atendimento: CITTA-AMERICA- Barra da Tijuca.RJ

DOZE CONSELHOS PARA TER UM INFARTO FELIZ!!!

aprenda-a-ter-um-infarto-feliz1

Quando publiquei estes conselhos “amigos-da-onça” em meu site, recebi uma enxurrada de e-mails, até mesmo do exterior, dizendo que isto lhes serviu de alerta, pois muitos estavam adotando esse tipo de vida inconscientemente.

1. Cuide de seu trabalho antes de tudo. As necessidades pessoais e familiares são secundárias.

2 Trabalhe aos sábados o dia inteiro e, se puder também aos domingos.

3. Se não puder permanecer no escritório à noite, leve trabalho para casa e trabalhe até tarde.

4. Ao invés de dizer não, diga sempre sim a tudo que lhe solicitarem.

5. Procure fazer parte de todas as comissões, comitês, diretorias, conselhos e aceite todos os convites para conferências, seminários, encontros, reuniões, simpósios etc.

6. Não se dê ao luxo de um café da manhã ou uma refeição tranqüila. Pelo contrário, não perca tempo e aproveite o horário das refeições para fechar negócios ou fazer reuniões importantes..

7. Não perca tempo fazendo ginástica, nadando, pescando, jogando bola ou tênis. Afinal, tempo é dinheiro.

8. Nunca tire férias, você não precisa disso. Lembre-se que você é de ferro. (e ferro , enferruja!!. .rs)

9. Centralize todo o trabalho em você, controle e examine tudo para ver se nada está errado.. Delegar é pura bobagem; é tudo com você mesmo.

10. Se sentir que está perdendo o ritmo, o fôlego e pintar aquela dor de estômago, tome logo estimulantes, energéticos e anti-ácidos. Eles vão te deixar tinindo.

11. Se tiver dificuldades em dormir não perca tempo: tome calmantes e sedativos de todos os tipos. Agem rápido e são baratos.

12. E por último, o mais importante: não se permita ter momentos de oração, meditação, audição de uma boa música e reflexão sobre sua vida. Isto é para crédulos e tolos sensíveis.

Repita para si: Eu não perco tempo com bobagens.

Duvido que você não tenha um belo infarto se seguir os conselhos acima!!!

IMPORTANTE:

Uma nota importante sobre os ataques cardíacos…

Há outros sintomas de ataques cardíacos, além da dor no braço esquerdo (direito). Há também, como sintomas vulgares, uma dor intensa no queixo, assim como náuseas e suores abundantes.

Pode-se não sentir nunca uma primeira dor no peito, durante um ataque cardíaco. 60% das pessoas que tiveram um ataque cardíaco enquanto dormiam, não se levantaram… Mas a dor no peito, pode acordá-lo dum sono profundo.

Se assim for, dissolva imediatamente duas Aspirinas na boca e engula-as com um bocadinho de água. Ligue para Emergência (193 ou 190) e diga ”ataque cardíaco” e que tomou 2 Aspirinas. Sente-se numa cadeira ou sofá e force uma tosse, sim forçar a tosse pois ela fará o coração pegar no tranco; tussa de dois em dois segundos, até chegar o socorro.. NÃO SE DEITE !!!!

Autor: Dr. Ernesto Artur – Cardiologista

A Era da Medicina Genética – seu DNA conta tudo

qNk5z1aFvu34RkqFZ6on8NxakPz4e9EIzma0XKk4Xss

A Era da Medicina Genética – seu DNA conta tudo

Após os estudos genéticos com os testes de saliva, a medicina passa a viver uma nova era. Sai a era da medicina de evidência e baseada em estatísticas e entra a era da medicina genética com Tratamentos Genótipo Específicos que se aplicam diretamente no emagrecimento, controle da obesidade, doenças metabólicas, doenças cardiovasculares, doenças neurológicas, doenças psíquicas, câncer, envelhecimento e depressão.

Esses exames vão auxiliar na elaboração de um tratamento adequado para cada indivíduo, com a elaboração de uma dieta semanal, a programação de exercícios e reposição de minerais, vitaminas, aminoácidos e hormônios que o corpo esteja necessitando.

Os hormônios que podem ser analisados no teste de saliva são o estradiol, estriol, testosteerona, GH, melatonina, serotonina, pregnenolona, progesterona, cortisol. Pode ser feito em qualquer idade e leva uma semana para ficar pronto. É recomendado que seja feito em jejum de uma hora somente. Neste período a pessoa não pode tomar água, escovar os dentes ou mastigar chicletes.

O teste de saliva é uma novidade para os tratamentos ANTI-AGING. Através de KITS específicos o paciente colhe 3 amostras de saliva em horários combinados com o médico – ao acordar (jejum) , antes do almoço (jejum) e ao final da tarde (jejum) e envia pelo correio as amostras para o laboratório. Os KITS – fabricados na Alemanha – são submetidos a reagentes específicos que mensuram somente a parte ativa (biologicamente ativa) do hormônio.

Os exames de saliva possuem um diferencial dos exames de sangue. No exame de sangue 70% do total hormonal apresentado não esta’ biologicamente ativo (disponível) , ou seja , não esta’ atuando nos órgãos alvo e por isso mascaram muitos resultados . Clinicamente o paciente apresenta-se exausto, desmotivado, sem libido, triste, com perda de massa muscular, ganho de massa gorda , perda de força, perda de memória e depressivo. Se o médico só olhar o exame de sangue pode ter um resultado incompleto que o levará a crer que não se trata de um desequilíbrio hormonal. Isso se deve porque o exame de sangue não mensura a fração que está atuante, funcional, biologicamente ativa, fazendo seus efeitos esperados no paciente.

Dr Tercio Rocha 11 mini

Dr. Tercio Rocha
Médico

COMO DIMINUIR O PROCESSO DE ENVELHECIMENTO DO ORGANISMO PARA ATINGIR A QUARTA IDADE COM TOTAL QUALIDADE DE VIDA?

casal-maduro-Odontoquality-de-bem-com-a-vida1

COMO DIMINUIR O PROCESSO DE ENVELHECIMENTO DO ORGANISMO PARA ATINGIR A QUARTA IDADE COM TOTAL QUALIDADE DE VIDA?

Homens e Mulheres após 25 anos começam a declinar as produções e ações periféricas de todos os hormônios, e por isso começam a envelhecer. Envelhecemos por deixarmos de produzir hormônios. Logo, a manutenção dos níveis hormonais, vitamínicos, minerais e de aminoácidos é fundamental.

A pele, maior órgão do nosso organismo, é onde os efeitos deletérios da queda da produção de estrógenos e GH (Hormônio de Crescimento) começam a ser notados. A pele começa a ficar fosca, perde o brilho, perde o tônus (flacidez), enruga; enfim, começa a envelhecer.

Atualmente, uma arma no combate ao envelhecimento é um tratamento que toma como base um programa ANTI-AGING que usa todos os conceitos de desaceleração do ritmo de envelhecimento , procurando ao máximo evitar o declínio da saúde celular, de cada célula , de cada órgão.

O plus no recondicionamento orgânico vem com a modulação hormonal bioativa após os 40 anos para as pessoas que apresentem queda das frações bioativas dos hormônios. Essas quedas hormonais, nesta idade, só são detectáveis pelo exame de dosagem hormonal em saliva.

Mulheres e homens só terão em suas mãos o caminho anti aging ideal a partir de um minucioso exame dos genes envolvidos com o processo de envelhecimento. Essa análise e esse envelhecimento é individual. Com a análise da saliva, o médico poderá fazer um minucioso mapa dietético, de exercícios físicos, de suplementos alimentares necessários e principalmente do que não se deve fazer, o que não se deve consumir. Banir os alimentos que causam INTOLERÂNCIA ALIMENTAR levam a brutal redução do estado inflamatório do corpo , permitindo uma extensão da saúde funcional do ENDOTELIO VASCULAR , o que ira’ permitir uma troca metabólica e uma oxigenação extremamente favorável para o corpo.

Longevidade saudável é quando a pessoa se mantém FUNCIONALMENTE JOVEM , realizando tudo que o jovem e’ capaz de fazer : uma boa locomoção , movimentos articulares plenos , boa memória , vontade de viver, boa qualidade de sono, bom humor, resistência imunológica ótima e sobretudo, vivendo plenamente.

Dr Tercio Rocha 11 mini

Dr. Tercio Rocha
Médico

QUAL O MELHOR ESTILO DE VIDA PARA UMA LONGEVIDADE SAUDÁVEL?

11 anti_aging

QUAL O MELHOR ESTILO DE VIDA PARA UMA LONGEVIDADE SAUDÁVEL?

O processo de envelhecimento do nosso corpo dá início a partir dos 25 anos, quando já e’ possível notar um balanço nitrogenado negativo, que resulta na perda de proteínas, diminuição da massa muscular, queda na taxa de hormônios e enzimas.

Porém, exercícios físicos diários, aliados a uma alimentação livre de gorduras hidrogenadas, gorduras saturadas, açúcar refinado e pouco sal desaceleram e até revertem esta tendência de envelhecer, favorecendo o organismo para um balanço nitrogenado positivo com manutenção de músculos, hormônios e enzimas.

Alguns estudos apontam que a genética familiar influencia aproximadamente de 17% a 20% no estado de saúde das pessoas, sendo que outros 20% são formados pelo meio ambiente e 10% pela assistência médica. Os 50% a 53% restantes são a parte afetada pelo estilo de vida, porcentagem significativa que só depende de consciência de cada um.

Hoje esse quadro vem mudando e já somos capazes de reverter até o que era considerada uma “herança genética” do indivíduo, se forem identificados os genótipos envolvidos com os mecanismos de envelhecimento precoce, através do teste de saliva PATHWAY AGing. O percentual de 20% relacionado ao meio ambiente pode ser grandemente revertido com manobras simples como o uso de proteção solar, uso de protetores de ouvido , exercícios respiratórios , uso de óculos escuros , ingestão de grande quantidade de água, entre outras ações. Os 10% da assistência médica pode ser ampliado, usando as orientações médicas, preventivamente, e não apenas na hora em que o indivíduo se encontra doente.

A mudança no estilo de vida é fundamental. As pessoas precisam realizar exercícios que estejam de acordo com a sua genética, ter uma dieta saudável e geneticamente adequada, banindo os alimentos que causam intolerância e acabam provocando processos inflamatórios no organismo. O estresse pode ser combatido com técnicas respiratórias de relaxamento que desaceleram muitíssimo o ritmo do envelhecimento.

É importante sempre frisar: ENVELHECER É INEXORAVEL, MAS SO’ FICA VELHO QUEM QUER!

Dr Tercio Rocha 11 mini

Dr. Tercio Rocha
Médico

SOBRE PERDAS E DESPERTADORES

f0133213_17512426

Sobre PERDAS e DESPERTADORES

Tenho como filosofia de VIDA que MUDANÇA é necessária e faz bem. E PERDA para mim é uma MUDANÇA – e daquelas radicais. E como MUDANÇA faz bem (mesmo a radical), a PERDA também faz bem. Mas, como posso falar que uma PERDA faz bem? PERDA não causa dor? PERDA não causa angustias? PERDA não causa um vazio na gente? Então! Bem, eu acredito, sem sombra de dúvidas, que PERDA é, na realidade, um despertador para a VIDA. Explico.

Quando tudo parece estar na mais perfeita ordem, ou quando o conforto excede a necessidade, ou a fartura impede o sentimento da falta, ou mesmo quando o sucesso nos reduz a visão, nos deixando perceber apenas o nosso próprio umbigo, ou até quando nos sentimos vaidosamente melhores do que nossos irmãos, deixando que a soberba e o egocentrismo domine nossas ações, acredito que nos tornamos pouco sensíveis ao nosso contexto de VIDA.

Como fazemos parte intrínseca do nosso contexto de VIDA, ficamos pouco sensíveis a nós mesmos. A VIDA dos que nos cercam não nos diz mais respeito tanto assim. O que acontece ao lado fica pouco importante e um pouco mais ao longe não existe. Já não sentimos mais o incômodo alheio. Ter é mais importante do que Ser. Ser servido é mais apreciado do que servir. Receber impera sobre o dar. Aparência vence o conteúdo. Começamos a soltar frases do tipo: “deixa assim mesmo, fazer o que?” ou “vou fazer a minha parte, os outros que façam a deles”, ou o famoso “ah, todo mundo é assim”. A nós bastam nós mesmos. Eu me basto, o resto é dispensável. Nós nos sentimos “comfortably numb” (vide Pink Floyd) dentro do nosso próprio mundo supostamente perfeito.

Esse estado total de letargia perfeita nos tira um pouco de Humanidade. Perfeição não tem nada a ver com a Humanidade. Seres humanos não são perfeitos. Não nasceram para ser perfeitos. E como somos Humanos em um mundo de Humanos, acabamos por causar um letal estado de falta de harmonia e desequilibrio no nosso contexto de VIDA e, por consequência imediata, em nós mesmos.

Contudo, a Natureza não permite isso por muito tempo. A VIDA como conhecemos é mantida em equilíbrio e harmonia obrigatórios para a sua continuidade e crescimento. A Natureza assim exige. Todo desequilíbrio deve ser compensado custe o que custar, doa a quem doer. Toda falta de harmonia deve ser corrigida mais cedo ou mais tarde. O contexto geral da VIDA assim demanda.

No plano individual, a minha PERDA em particular será certamente compensada, tornando-se algo positivo para alguem dentro de um mesmo todo, mesmo que esse alguem seja eu mesmo, recuperando o equlibrio e a harmonia do coletivo. No mínimo, o todo não perderá nem ganhará – se manterá. Algo individual se vai, mas o todo permanecerá igual ou melhor. É uma questão de sobrevivência, de continuidade da VIDA.

PERDA nos obriga a refletir, entender melhor e ficar mais alerta ao nosso contexto de VIDA. PERDA nos dá uma chance de reposicionamento diante da nossa VIDA e, por consequência, diante do nosso contexto de VIDA. PERDA é o agente de limpeza da VIDA (vide Steve Jobs), nos trazendo renovação e perpetuando o fiel da balança da VIDA exatamente no meio.

Eu entendo PERDA como uma espécie de despertador que, ao tocar pela 1ª vez, nos alerta que precisamos voltar rapidamente à realidade de que somos todos interligados. Somos todos parte de um único coletivo. E, ainda meio sonolentos, começamos a perceber que o que fazemos de bem (ou de mal) no nosso contexto de VIDA, estamos, na realidade, fazendo de bem (ou de mal) a nós mesmos.

E o que se faz quando o despertador toca pela 1a vez? Dorme-se mais 5-10 minutos, é claro (SNOOZE!). Porque, em geral, quase sempre não percebemos os primeiros sinais de desequilíbrio e falta de harmonia em nossas vidas.

PERDA, para mim, é quando despertador toca pela 2a vez, obrigando-me a levantar de vez e encarar o meu contexto individual de VIDA, e, por consequência, a mim mesmo, exigindo-me uma atitude compensatória para manter o equilibrio e a harmonia do todo ao qual pertenço, mesmo sentindo saudades ou falta do que se foi.

Quando a PERDA chega, acredito fielmente que DEUS chacoalha o nosso estado egoista de letargia perfeita, nos tirando algo de muito valor, dando-nos um choque, e reposicionando-o de forma diferente no seu plano mestre, gerando uma compensação para garantir o equilibrio e a harmonia do todo – o qual foi negativamente afetado pelo nosso estado dormente de falso conforto.

E diante da PERDA irreparável a que fui imposto, por mais que me doa, eu tenho mais é que agradecer.

eu de perto

Miguel F Gouveia, MSEE

Julho 29, 2009

VOCÊ SABE O QUE O FAZ FELIZ?

FELICIDADE-001

VOCÊ SABE O QUE O FAZ FELIZ?

O que o faria feliz? Talvez uma promoção no trabalho, um carro melhor, um encontro excitante, riqueza ou um bem material desejado. Qualquer que seja sua resposta, pesquisas recentes na área da Psicologia sugerem que é um equívoco acreditamos que essas coisas trarão muita felicidade por muito tempo. O que ocorre, na realidade, é que elas trarão pouca felicidade, por pouco tempo.
Isso não significa que o objetivo de encontrar a felicidade duradoura seja irreal ou ingênua. A dificuldade é que temos tendência a procurá-la nos lugares errados e, desta forma, o que acreditamos que faria imensa diferença em nossas vidas, de acordo com pesquisas científicas, faz apenas pequena diferença. . Podemos até ter conhecido uma felicidade verdadeira, mas nos sentimos impotentes para trazer esse mesmo sentimento de volta.

O desejo de ser mais feliz é sentido por grande parcela das pessoas, desde aquelas que não são tão felizes como gostariam de ser até por aquelas que estão se saindo muito bem,e querem mais. O que então, determina a felicidade?

De acordo Dra.Sonja Lyubomirsky,(2007), em suas pesquisas para o National Institute of Mental Health, as causas mais importantes que deteminam a felicidade foram representados no gráfico abaixo:

Como pode ser observado no gráfico, 50% das diferenças entre os níveis de felicidade das pessoas podem ser atribuídos aos pontos decisivos geneticamente determinados. Essa descoberta provém de estudos com gêmeos idênticos e bivitelinos e sugerem que cada um de nós nasce com um potencial para felicidade proveniente de nossos pais biológicos. Esse potencial diz respeito a nossa linha de base ou níveis originais de bem estar ao qual sempre retornamos, mesmo depois de grandes contratempos ou triunfos.
Isto quer dizer que, da mesma forma que no caso da inteligência, nosso ponto decisivo seja ele, alto, intermediário ou baixo, no que diz respeito ao grau de nossa felicidade ao longo da vida, é determinado em torno de 50% por fatores inatos.

o que te faz feliz

A pesquisa esclarece ainda, que apesar de parecer contraditório, apenas cerca de 10% da variação em nossos níveis de felicidade são explicados pelas diferenças nas circunstâncias da vida, ou seja, se somos ricos ou pobres, saudáveis ou doentes, bonitos ou comuns, casados ou solteiros.

Um estudo comparativo entre pesquisas classificatórias do nível de felicidade da Universidade de Chicago e informações econômicas no período de 1957 a 2000, demonstrou que apesar do poder de compra da classe média americana ter triplicado neste período, o nível de felicidade da população, permaneceu estável.

Pode ser difícil pensar que condições como riqueza, beleza ou fama só tem influência por curto prazo e por isso são limitadas na conquista da felicidade, entretanto, ao aceitarmos isto como verdadeiro, estamos nos habilitando a perseguí-la por nós mesmos.

Ainda observando o gráfico, imaginemos que temos 100 pessoas todas gêmeas idênticas, com situações de vida idênticas, ainda assim, seriam diferentes quanto ao grau de felicidade, em torno de 40%.

No que consiste essa diferença?

A resposta está no comportamento, nas atividades práticas intencionais. Desta forma, esses 40% representam um potencial de oportunidades de aumentar ou diminuir nosso nível de felicidade através de como pensamos, do que fazemos e de nossa vida diária.

Estudos formais de intervenção e projetos para incrementar e manter o nível de felicidade além do seu ponto determinado geneticamente, chegaram a uma proposta de trabalho onde são adaptados a personalidade individual, as forças, os objetivos e a situação de vida de cada sujeito, com a finalidade de identificar e definir estratégias adequadas para cada caso. Mas, é importante tomarmos consciência de que o esforço de ser mais feliz está com nós mesmos, nossos interesses, valores e necessidades. Tornar-se feliz de maneira duradoura requer algumas mudanças permanentes que exigem esforço e compromisso todos os dias de nossa vida. No entanto, pode ser o “trabalho” mais gratificante que podemos fazer.

hellen_cordeiro_v2

Hellen Cordeiro – Psicóloga
hellen-cordeiro@ig.com.br

NUTRIGENOMICA: A REVOLUÇÃO NA CIÊNCIA DA NUTRIÇÃO

qNk5z1aFvu34RkqFZ6on8NxakPz4e9EIzma0XKk4Xss

Em uma sociedade cada vez mais preocupada com saúde, bem estar e qualidade de vida, a Nutrição tem sido um assunto muito abordado em todas as mídias. A cada ano surgem diversas dietas, sejam para emagrecer ou prevenir doenças, gerando muitas dúvidas na população em relação aos alimentos que devem ser ingeridos e evitados. Porém, quando falamos em Nutrição não há fórmula mágica: cada indivíduo possui características próprias. O que funciona para uma pessoa não terá necessariamente o mesmo resultado em outra. O que as diferencia? A resposta está na genética. Mudanças na sequência do DNA conhecidas como polimorfismos de nucleotídeo único, além de interferirem em características físicas (cor do cabelo, olhos, tipo de cabelo, peso, estatura), podem influenciar o risco para doenças crônicas não transmissíveis (como diabetes, câncer, hipertensão) resposta aos alimentos e necessidades de nutrientes.

Agora imagine a seguinte situação: preocupada com sua saúde, uma mulher de 30 anos busca orientação. Uma equipe multidisciplinar solicita o sequenciamento do seu genoma. Por meio da análise dos dados, conclui-se que essa mulher poderá desenvolver diabetes aos 50 anos. Com base em seu genótipo, cria-se uma dieta personalizada baseada em seu código genético, promovendo saúde e diminuindo o risco dela desenvolver uma doença crônica não transmissível. Esse cenário há alguns anos atrás poderia ser ficção científica, porém hoje é cientificamente admissível e tecnicamente viável realizar o sequenciamento do genoma humano e aplicar no atendimento clínico de rotina. Diante da interação da genética e da ciência da nutrição, surgiu a Nutrigenômica que possui como foco de estudo o desenvolvimento de dietas personalizadas a partir da genética de cada indivíduo.

A Nutrigenomica pode ser entendida de duas formas: a alimentação poderia influenciar a atividade dos genes, como os genes poderiam influenciar a necessidade de nutrientes. Surgiu a partir da conclusão do Projeto Genoma Humano em 2003. Desde então, surgiram novas oportunidades e desafios no contexto da pesquisa em Nutrição. A nutrigenomica introduziu uma nova perspectiva em recomendações nutricionais, pois com as informações contidas no código genético do paciente será possível estimar o risco de doenças e adequar a dieta eliminando alimentos possivelmente nocivos à sua saúde. Em um futuro próximo, essa área-chave da nutrição será responsável por alterações na maneira que os alimentos serão cultivados, processados e consumidos. E esse é só o começo.

Dra Gi Morbi mini

Dra. Giovana Morbi – Nutricionista – CRN:34076
contato@giovanamorbi.com.br
(11) 3081-0633
www.giovanamorbi.com.br

REFERÊNCIAS:
DANIEL H. Genomics and proteomics: importance for the future of nutrition research. Br J Nutr, 87 (2): S305-11, 2002.
STOVER P.J. Nutritional genomics. Physiol Genomics, 16: 161-5, 2004.
MARTI, A et al. Avances en nutrición molecular: nutrigenômica y nutrigenética. Nutr Hosp, 20:157-164, 2005.
FIALHO, E , MORENO, F.S , ONG, T.P. Nutrição no pós genoma: fundamentos e aplicações de ferramentas ômicas. Methods in Nutrition, 2008.
CONTI, A. Nutrigenômica: a ciência da nutrição na era pós genoma. Food Ingredientes Brasil, 2010.